Exportação de grãos tende a crescer nos próximos anos


1 ago 2019 - Comércio Exterior

Monitor de Publicações

As projeções de exportação para os próximos dez anos apontam o embarque de quase 150 milhões de toneladas de grãos. Os dados fazem parte do estudo Projeções do Agronegócio, Brasil 2018/2019 a 2028/2029, produzido pela Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e pela Embrapa.

São citados 15 produtos, ao todo, o algodão em pluma deverá registrar aumento nas vendas externas, a soja em grão e o milho. Entre os principais produtos exportados, o açúcar alcança 24 milhões de toneladas, e o café, 41 milhões de sacas.

As estimativas realizadas são de que a área total plantada com lavouras deve passar de 75,4 milhões de hectares em 2018/19 para 85,7 milhões em 2028/29. Um acréscimo de 10,3 milhões de hectares. Essa expansão está concentrada em soja, canade-açúcar e milho. Totalizam as três 12,3 milhões de hectares adicionais.

O mercado interno juntamente com as exportações e os ganhos de produtividade, deverão ser os principais fatores de crescimento na próxima década. Em 2028/29, 35,5% da produção de soja devem ser destinados ao mercado interno, no milho, 65,3%, e no café, 49,2% da produção devem ser consumidos internamente. Haverá, assim, uma dupla pressão sobre o aumento da produção nacional, devida ao crescimento do mercado interno e das exportações do país.

Finalmente, as projeções regionais estão indicando que os maiores aumentos de produção, e de área, da cana-de-açúcar, devem ocorrer nos estados de Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais. Mas São Paulo como maior produtor nacional, também, projeta expansões elevadas de produção e de área desse produto. Entre os grandes produtores, Mato Grosso deve continuar liderando a expansão da produção de milho e soja no país com aumentos previstos na produção de 35,4% e soja, 43,1% respectivamente.


Fonte: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento