Arábia Saudita nega razões políticas para suspender compras de frango


28 jan 2019 - Comércio Exterior

Substituição Tributária

A Embaixada da Arábia Saudita negou “razões políticas” para suspender a importação de carne de frango de cinco empresas brasileiras. De acordo com a nota divulgada hoje (25), foi “uma decisão exclusivamente técnica e rotineira”, pois empresas em “desconformidade” com as normas exigidas pelo país foram "descrendenciadas".

Segundo a representação diplomática, em breve o governo saudita enviará explicação técnica detalhada. Com as informações em mãos, os diplomatas sauditas no Brasil pretendem marcar reuniões no Ministério das Relações Exteriores e em órgãos federais, assim como para as empresas envolvidas.

De acordo com a Embaixada da Arábia Saudita, a suspensão se baseou em um procedimento de atualização da lista de empresas brasileiras credenciadas para exportar. Para fazer essa atualização, o governo da Arábia Saudita enviou em 1º de agosto de 2018 uma missão de técnicos e inspetores para verificar as condições de abate de frango.

Segundo a embaixada, esses técnicos retornaram à Arábia Saudita e elaboraram um documento minucioso, informando se os frigoríficos brasileiros atendiam às normas sanitárias do país. A suspensão das importações de frango se baseou na lista dos frigoríficos brasileiros reprovados nessa lista.

“Cabe lembrar nesse sentido, que as diretrizes e orientações fitossanitárias exigidas pela Comissão Geral de Alimentos e Drogas do Reino são aplicáveis para todos os países exportadores de produtos alimentícios para o Reino da Arábia Saudita”, diz a nota oficial do governo saudita.

A Embaixada da Arábia Saudita nega que a decisão tenha sido motivada pela possibilidade de o Brasil transferir de TelAviv para Jerusalém a embaixada brasileira em Israel.

Segue a íntegra da nota da Embaixada da Arábia Saudita:

NOTA

Com referência às notícias que circulam através de vários meios de comunicação local, tratando da decisão do Reino da Arábia Saudita que consiste em interromper as exportações de carne de frango de alguns frigoríficos da República Federativa do Brasil, alegando que a decisão foi motivada por razões políticas.

Neste contexto, a Embaixada do Reino da Arábia Saudita acreditada junto ao Governo da República Federativa do Brasil declara e confirma que, a decisão do cancelamento das importações emitida em desfavor de algumas empresas exportadoras de carne de frango Brasileiras foi uma decisão exclusivamente técnica e rotineira, à margem de uma atualização na lista das empresas do ramo agroalimentar, credenciadas para exportar os seus produtos do Brasil para o Reino, descredenciando algumas que atuavam em desconformidade com as orientações e exigências requeridas pela Delegação Técnica Saudita, enviada ao Brasil pela Comissão Geral de Alimentos e Drogas do Reino, e após inspeções realizadas nas instalações dos frigoríficos brasileiros pela mesma em 01/08/2018.

Cabe lembrar nesse sentido, que as diretrizes e orientações fitossanitárias exigidas pela Comissão Geral de Alimentos e Drogas do Reino são aplicáveis para todos os países exportadores de produtos alimentícios para o Reino da Arábia Saudita.


Fonte: Agência Brasil - EBC