Apesar da crise, Santa Catarina registrou 315 mil novas empresas em quatro anos


8 out 2018 - Contabilidade / Societário

Teste Grátis por 5 dias

Em 2015, a Junta Comercial de Santa Catarina registrou a abertura de 201 novas empresas do setor de agricultura e pecuária, e até o dia 30 de setembro deste ano esse número não parou de crescer, chegando a 1.176 negócios no setor. Na indústria de transformação, por exemplo, 39.957 novos negócios foram instalados nesse período, enquanto o comércio e reparo de veículos abriu nada menos que 90.441 estabelecimentos.

Pela primeira vez compilados por natureza e ramo através do Observatório de Indicadores de Registro Mercantil, os dados da Jucesc (Junta Comercial do Estado de Santa Catarina) dão a dimensão de como o setor econômico catarinense se comportou nos últimos quatro anos. E apesar da crise que o país enfrenta no período, diversos segmentos e naturezas jurídicas apontam que em Santa Catarina empreender ainda é possível.

Os dados foram apresentados nesta quarta-feira (4) pelo presidente da Junta, Gerson Basso, após inúmeros pedidos de setores estratégicos do governo e da iniciativa privada.Segundo Basso, as informações, além de darem uma dimensão sobre o setor produtivo, também poderão auxiliar na construção de políticas públicas e contribuir com as entidades representativas dos setores produtivos. “Não seria justo a Junta ficar com esses dados para si. A população, de maneira geral, tem dificuldades para conseguir acessar as informações que são públicas, por isso decidimos compilar os dados. Para se ter ideia, Florianópolis tem o maior número de empresas, o que para muitos foi uma surpresa”, explicou.

Segundo o levantamento, a Capital catarinense possui 75,7 mil negócios ativos, na frente de Joinville (62,5 mil), Blumenau (43,3 mil) e Itajaí (29,8 mil). No total, o Estado possui 754.396 empresas ativas. Dessas 315.538 mil foram constituídas nos últimos quatro anos. Já o fechamento de negócios no Estado, desde 2008, foi de 309.241.

Quase meio milhão dos negócios no Estado são de empreendedores individuais ou MEIs (Micro Empreendedores Individuais). A Capital catarinense abriga o maior número de cooperativas do estado (135), de empreendedores individuais (43.200) e S/As (1.980). Dado que chama a atenção é relacionado as empresas de tecnologia. Em 2015 foram abertos 1.091 negócios no ramo. Até setembro deste ano, o número de novos negócios no setor passou de 6 mil.

Menos burocracia

Abrir, mudar a natureza ou fechar um negócio em Santa Catarina já é mais fácil. Lançado em setembro deste ano, o programa Jucesc Digital vai permitir maior agilidade aos processos que tramitam no órgão.

O cronograma de implantação do sistema prevê que até março de 2019 todas as 57 unidades deixarão de receber processos físicos, migrando tudo para o ambiente digital. “No processo físico levamos entre 24h a 72h para encaminhar um processo. Agora, com o sistema digital é questão de segundos”, afirmou Deoclesio Beckhauser, diretor de Registro Mercantil do órgão.

“Com isso, o contador não vai precisar vir até o balcão para pedir abertura de empresa ou até mesmo acompanhar o processo, vai poder fazer tudo via digital”, explicou Gerson Basso.


Fonte: Diário Catarinense