Portaria DPF Nº 3258 DE 02/01/2013


 Publicado no DOU em 14 jan 2013


Altera a Portaria nº 3.233-DG/DPF de 10 de dezembro de 2012, publicada no Diário Oficial da União em 13 de dezembro de 2012.


Portal do ESocial

O Diretor-Geral do Departamento de Polícia Federal, no uso das atribuições que lhe conferem o art. 25 do Anexo I da Portaria nº 2.877, de 30 de dezembro de 2011, e o art. 2º da Portaria nº 195, de 13 de fevereiro de 2009, ambas do Ministério da Justiça, e tendo em vista o disposto na Lei nº 7.102, de 20 de junho de 1983, no Decreto nº 89.056, de 24 de novembro de 1983, na Portaria nº 2.494, de 3 de setembro de 2004, do Ministério da Justiça, e na Lei nº 10.826, de 22 de dezembro de 2003,

Considerando a ocorrência de erros formais na publicação dos anexos I, II e XI, assim como na terminologia utilizada no art. 2º, inciso IV, todos da Portaria nº 3.233-DG/DPF de 10 de dezembro de 2012,

Resolve:

Art. 1º. O art. 2º, inciso IV da Portaria nº 3233 de 10 de dezembro de 2012 passa a vigorar com a seguinte redação:

"Art. 2º

IV - Plano de segurança: documentação das informações que detalham os elementos e as condições de segurança dos estabelecimentos referidos no Capítulo V."(NR)

Art. 2º. Os anexos I, II e XI da Portaria nº 3.233-DG/DPF de 10 de dezembro de 2012, passam a vigorar na forma dos Anexos I, II e III desta Portaria.

Art. 3º. Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

LEANDRO DAIELLO COIMBRA

ANEXO I

CURSO DE FORMAÇÃO DE VIGILANTE PROGRAMA DE CURSO


1. PERFIL DO VIGILANTE


O vigilante deverá ter o seguinte perfil profissional:


a) preventivo/ostensivo: atributo de o vigilante ser visível ao público em geral, a fim de evitar a ação de delinquentes, manter a integridade patrimonial e dar segurança às pessoas;

b) proatividade: ação de antever e se antecipar ao evento danoso, com o fim de evitá-lo ou de minimizar seus efeitos e, principalmente, visar à adoção de providências para auxiliar os agentes de segurança pública, como na coleta das primeiras informações e evidências da ocorrência, de preservação dos vestígios e isolamento do local do crime;

c) relações públicas; qualidade de interação com o público, urbanidade, sociabilidade e transmissão de confiança, priorizando o atendimento adequado às pessoas com deficiência;

d) vigilância; atributo de movimento, dinamismo e alerta, contrapondo-se ao conceito estático;
e) direitos humanos; respeito à dignidade e à diversidade da pessoa humana, compromisso que o Brasil assumiu perante a comunidade internacional e princípio constitucional de prevalência dos direitos humanos;

f) técnico-profissional; capacidade de empregar todas as técnicas, doutrinas e ensinamentos adequados para a consecução de sua missão;

g) adestramento; atributo relacionado à desenvoltura corporal, com aprimoramento físico, domínio de defesa pessoal e capacitação para o uso proporcional da força através do emprego de tecnologias não-letais e do uso da arma de fogo, como último recurso de defesa própria ou de terceiros;


h) higidez física e mental; certeza de não ser possuidor de patologia física ou mental;

i) psicológico; perfil psicológico adequado ao desempenho do serviço de vigilante; e

j) escolaridade; 4a série (exigência legal).

2. OBJETIVOS

2.1. Gerais

São os objetivos gerais do Curso de Formação de Vigilante - CFV:

a) dotar o aluno de conhecimentos, técnicas, habilidades e atitudes que o capacitem para o exercício da profissão de vigilante, em complemento à segurança pública, incluídas as atividades relativas à vigilância patrimonial, à segurança física de estabelecimentos financeiros e outros, preparo para dar atendimento e segurança às pessoas e manutenção da integridade do patrimônio que guarda, bem como adestramento para o uso de armamento convencional e o emprego de defesa pessoal; e

b) elevar o nível do segmento da segurança privada a partir do ensino de seus vigilantes.

2.2. Específicos

Ao final do CFV, o aluno deverá adquirir conhecimentos, técnicas, habilidades e atitudes para:

a) compreender o ser humano como titular de direitos fun damentais;

b) desenvolver hábitos de sociabilidade no trabalho e no convívio social;

c) executar uma vigilância dinâmica e alerta, interagindo com o público em geral;

d) prevenir ocorrências inerentes às suas atribuições, dentro da área física a ele delimitada, a fim de manter a integridade patrimonial e de dar segurança às pessoas;
 

e) antecipar-se ao evento danoso, a fim de impedir sua ocorrência ou de minimizar seus efeitos, principalmente, adotar as providências de auxílio aos agentes de segurança pública, como o iso-
lamento do local;


f) operar com técnica e segurança equipamentos de comunicação, alarmes e outras tecnologias de vigilância patrimonial;


g) manusear e empregar, com segurança, armamento letal convencional na atividade de vigilante, de forma escalonada e proporcional, como instrumentos de defesa própria ou de terceiros;


h) defender-se com o uso de técnicas adequadas;


i) manter-se saudável e em forma física;


j) identificar condutas ilícitas descritas na legislação penal;


k) identificar o conceito, a legislação e as atribuições das empresas de segurança privada;

l) aplicar conhecimentos de primeiros socorros;

m) proteger o meio ambiente;

n) adotar medidas iniciais de prevenção e de combate a incêndios;

o) tomar as primeiras providências em caso de crise; e

p) executar outras tarefas que lhe forem atribuídas, notadamente pela criação de divisões especializadas pela sua empresa, para permitir um crescimento sustentado em todas as áreas de segurança privada.


3. PÚBLICO ALVO


O público alvo do CFV será composto pelos candidatos regularmente inscritos, após o preenchimento dos requisitos mínimos previstos em lei e, especialmente, nesta Portaria.

4. ORGANIZAÇÃO

O CFV funcionará de acordo com as disposições contidas no programa de curso, no seu regime escolar e nas demais normas vigentes.

4.1. Metodologia

Os CFVs adotarão a metodologia do ensino direto, utilizando-se de métodos e técnicas de ensino individualizado, coletivo e em grupo, enfatizando ao máximo a parte prática, no intuito de
alcançar os objetivos propostos para o curso, bem como palestras e mesas redondas abrangendo temas de interesse dos futuros vigilantes.
Os exercícios simulados, aproximados ao máximo da realidade, serão admitidos para aguçar a destreza e como antecipação aos exercícios reais, desde que em condições de segurança adequadas, a cargo e sob a responsabilidade do curso. A disposição do plano de curso e a grade horária ficam a cargo dos cursos de formação, em conformidade com este programa
de curso. As disciplinas teóricas (excetuadas a de Educação Física, Prevenção e Combate a Incêndio, Primeiros Socorros, Defesa Pessoal e Armamento e Tiro) serão ministradas de forma sequencial, quando o conteúdo programático exigir de uma seja pré-requisito para as subsequentes. A linguagem usada pelo professor e a complexidade na apresentação dos temas deverão levar em consideração a escolaridade e os alunos com nível de compreensão mais baixo. Os professores serão selecionados conforme as especialidades, por meio de  credenciamento, sendo que os psicólogos que venham a aplicar os testes psicológicos deverão estar inscritos no Sistema Nacional de Armas - SINARM.
Os monitores serão de livre opção dos cursos de formação, desde que estas observem o desenvolvimento do conteúdo programático e a segurança dos alunos.
Os cursos de formação deverão manter em arquivo o plano de curso, grade horária e os planos de aula elaborados pelos professores, a serem apresentados por ocasião da fiscalização.
As aulas teóricas de Tecnologias Não-Letais devem abordar de forma abrangente todas as circunstâncias e cenários de seu possível uso, objetivando preservar a incolumidade física das pessoas controladas com uso da força durante o exercício da profissão, em conformidade com os preceitos das Organizações das Nações Unidas - ONU relativos aos direitos humanos.
As aulas de Armamento e Tiro deverão ser distribuídas ao longo do curso, de forma intercalada com as demais disciplinas, com o fim de valorizar o manuseio e propiciar intimidade com a arma, mediante exercícios de empunhadura, visada e tiros em seco antes do tiro real. O tiro real não poderá ser realizado em uma única etapa, cuja distribuição seguirá o programa de matéria abaixo.
 

4.2. Carga horária

A carga horária total do curso será de 200 h/a, podendo ocorrer diariamente no máximo 10 h/a.

As aulas práticas devem estar intercaladas com as aulas teóricas, de modo a garantir ao menos 1 h/a das disciplinas práticas por dia. São disciplinas práticas: Educação Física, Defesa Pessoal e Armamento e Tiro.

4.2.1. Distribuição do tempo

a) Disciplinas curriculares .... 174 h/a

b)Verificação de aprendizagem .... 24 h/a c) Abertura de curso .... 2 h/a

TOTAL .... 200 h/a

4.3. Grade curricular

Disciplina

Objetivos

Carga Ho- rária

Noções de Segurança Pri- vada

Desenvolver conhecimentos sobre conceitos e legislação de segurança privada, papel das empresas e dos representantes de classe, direitos, deveres e atribuições do vigilante. Identificar direitos e deveres trabalhistas do vigilante.

8 h/a

Legislação Aplicada e

Direitos Humanos

Dotar o aluno de conhecimentos básicos de Direito, Direito Constitucional e Direito Penal, enfocando os principais crimes que o vigilante deve prevenir e aqueles nos quais pode incorrer. Desenvolver conhecimentos sobre conceitos, legislação e técnicas de proteção ambiental na área de vigilância.

Ampliar conhecimentos para respeitar a visão política e prática da afirmação dos Direitos Humanos, observando a complexidade e a diversidade dos seres humanos e de seus direitos, compreendidos também perspectiva de respeito à diversidade de orientação sexual, dos direitos das mulheres (combate à violência de gênero), das crianças, adolescentes e idosos, dos portadores de necessidades especiais, combatendo, por fim, a utilização de práticas discriminatórias no exercício da profissão.

20 h/a

Relações Humanas no

Trabalho

Conscientizar e instrumentalizar o aluno para o desenvolvimento intra e interpessoal. Desenvolver atitudes para o atendimento adequado e prioritário às pessoas com deficiência. Dotar o aluno de conhecimentos que o capacitem a desenvolver hábitos de sociabilidade que permitam o seu bom relacionamento no trabalho e em outras esferas do convívio social.

10 h/a


Sistema de Segurança Pú- blica e Crime Organizado

Desenvolver conhecimentos sobre o Sistema Nacional de Segurança Pública, atribuições constitucionais de cada corporação policial e das Forças Armadas e atribuições da guarda municipal. Dotar o aluno de conhecimentos e dados sobre a atuação e acionamento da polícia militar em caso de ocorrência policial gerada na área de vigilância. Ampliar conhecimentos para identificar grupos criminosos e seu modus operandi, com o fim de evitar cooptação do vigilante.

10 h/a

Prevenção e Combate a

Incêndio

Dotar o aluno de noções e técnicas básicas de prevenção e combate a incêndios, bem como capacitá-lo a adotar providências adequadas em caso de sinistros, principalmente na evacuação de prédios.

6 h/a

Primeiros Socorros

Capacitar o aluno a prestar assistência inicial em caso de emergência através de assimilação de conhecimento de primeiros socorros.

6 h/a

Educação Física

Aprimorar o condicionamento físico, visando capacitar o aluno a desenvolver um programa básico permanente de preparação física pessoal.

12 h/a

Defesa Pessoal

Desenvolver habilidades, fundamentos e técnicas de defesa pessoal e de terceiros.

20 h/a

Armamento e Tiro

Habilitar o aluno a manejar e usar com eficiência armamento empregado na atividade de vigilância, como último recurso de defesa pessoal ou de terceiros.

24 h/a

Vigilância

Desenvolver conhecimentos sobre vigilância geral e sobre as áreas de vigilância especializadas, como vigilância em banco, shopping, hospital, escola, indústria, com o fim de manter a integridade do patrimônio que guarda, executar os serviços que lhe competem e realizar uma vigilância dinâmica, alerta, integrada e interativa. Capacitar o aluno a identificar as técnicas de vigilância em geral e compreender as funções do vigilante, bem como avaliar sua importância num esquema de segurança. Desenvolver

conhecimentos sobre o plano de segurança das empresas. Dotar o aluno de conhecimentos específicos que o capacitem ao desempenho das atribuições de promover a segurança física de instalações, em sua área de atuação, adotando medidas de prevenção e repressão de ocorrências delituosas. Identificar emergência, evento crítico e crise. Desenvolver conhecimentos sobre táticas e técnicas iniciais na tomada das primeiras providências frente a um evento crítico ou uma crise.

14 h/a

Radiocomunicações

Desenvolver conhecimentos teóricos e práticos sobre o sistema de telecomunicações utilizado pelas empresas de segurança. Capacitar o aluno a usar de maneira correta e eficaz os equipamentos de comunicação.

10 h/a

Noções de Segurança

Eletrônica

Desenvolver conhecimentos sobre os sistemas computadorizados e de controle eletrônico, não restritos, geridos por empresas e disponíveis a seus vigilantes. Desenvolver conhecimentos sobre os sistemas de alarmes e outros meios de alerta, não restritos, geridos por empresas e disponíveis a seus vigilantes. Capacitar o aluno a usar de maneira correta e eficaz os equipamentos eletrônicos.

10 h/a

Noções de Criminalística e Técnicas de Entrevista Prévia

Dotar o aluno de noções sobre criminalística (evidências, vestígios e local de crime).

Instrumentalizar o aluno de técnicas de isolamento do local do crime, preservação de vestígios até a chegada da polícia; observar e descrever pessoas, coisas, áreas e locais, de forma diligente; demais iniciativas que lhe competem na prevenção e repressão de ocorrências delituosas. Desenvolver conhecimentos que identifiquem as drogas mais usadas, legislação específica, tráfico ilícito, uso indevido e dependência, bem como as atividades policiais preventiva e repressiva. Desenvolver conhecimentos sobre técnicas de entrevista prévia, visando colher dados necessários ou relevantes às investigações policiais.

8 h/a

Uso Progressivo da Força

Desenvolver conhecimentos gerais sobre conceitos e legislação relativos ao emprego e uso da força de maneira escalonada, com o auxílio de armas menos que letais. Desenvolver habilidades de utilização do uso progressivo da força. Fortalecer atitudes para aplicar os conhecimentos adquiridos no desempenho das atividades de vigilância patrimonial e segurança pessoal.

8 h/a

Gerenciamento de Crises

Dotar o aluno de conhecimentos para desempenhar de forma eficaz suas atividades, especialmente no momento de uma ocorrência fática de crise ou conflito. Desenvolver conhecimentos sobre as diferenças de crise e conflito, apresentando ao aluno diversos exemplos reais e simulados de gerenciamento de crises.

8 h/a


4.4. Composição das turmas

As turmas serão compostas de classe com no máximo 45 alunos cada uma.

4.5. Frequência

A frequência é obrigatória a todas as atividades programadas para os alunos. Somente será submetido à avaliação final o candidato que obtiver frequência de 90% da carga horária em cada disciplina.

Será desligado do curso o aluno que ultrapassar o limite de faltas previsto no plano de curso, podendo aproveitar as disciplinas já concluídas em curso subsequente, desde que iniciado dentro do prazo máximo

de 3 meses da conclusão do curso anterior.

4.6. Avaliação

Ao final de cada disciplina teórica será realizada uma avaliação de aprendizagem escrita, do tipo objetiva, sendo considerado aprovado o aluno que obtiver o mínimo de 6 pontos num máximo de 10

pontos.

A complexidade das questões elaboradas deverá ser condizente com o nível de escolaridade dos alunos.

As avaliações das disciplinas práticas (Educação Física, Defesa Pessoal e Armamento e Tiro) serão realizadas de forma prática, sendo que as disciplinas de Prevenção e Combate a Incêndio e Primeiros Socorros

serão de forma simulada.

Será desligado do curso o aluno que for reprovado em uma ou mais matérias, podendo aproveitar as disciplinas já concluídas em curso subsequente, desde que iniciado dentro do prazo máximo de 3 meses

da conclusão do curso anterior.

5. PROGRAMA DE MATÉRIAS

5.1 Noções de Segurança Privada - NSP

Carga horária: 8 h/a Avaliação: Verdadeiro ou Falso (V/F) (1 h/a)

Objetivos da disciplina:

a) desenvolver conhecimentos sobre conceitos e legislação de segurança privada, papel das empresas e dos representantes de classe, direitos, deveres e atribuições do vigilante;

b) identificar direitos e deveres trabalhistas do vigilante; e

c) exercer suas faculdades legais quando for oportuno.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

 

1

identificar na legislação conceitos, missão, políticas, terminologias de segurança privada.

Legislação de segurança privada (Lei nº 7.102, de 1983, de 20 de junho de 1983, Decreto nº 89.056, de 24 de novembro de 1983, e esta Portaria):

- conceito;

- complemento da segurança pública;

- políticas;

- terminologias (Vigilante, Empresas Especializadas, Serviço Orgânico, Estabelecimentos Financeiros, Transporte de

Valores, Segurança Pessoal Privada, Escolta Armada, classe patronal e classe laboral); e

- atividades de Segurança Privada.

Estratégias de ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 2 h/a.

 

2

identificar os órgãos reguladores da segurança privada e suas atribuições.

Órgãos Reguladores e competências:

- Ministério da Justiça;

- Comissão Consultiva para Assuntos de Segurança Privada - CCASP;

- Departamento de Polícia Federal (Diretor Executivo, Coordenação-Geral de Controle de Segurança Privada - CGCSP, Delegacias de Controle de Segurança Privada - Delesp, Comissões de Vistoria -

CV);

- Exército Brasileiro/DFPC - Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados; e

- Secretaria de Segurança Pública - SSP: papel subsidiário.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais e resolução de exercício. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 2 h/a.

 

3

identificar direitos e deveres do vigilante, processo de apuração de suas condutas e infrações ad- ministrativas que pode vir a praticar em nome da empresa.

Vigilante:

-direitos;

-deveres;

-regulamento disciplinar;

-apuração de suas condutas; e

-infrações administrativas.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 2 h/a.

 

4

identificar direitos e deveres trabalhistas do vigilante.

Direito Trabalhista:

- contrato de trabalho (salário, adicionais, estabilidade no emprego);

- salário (salário-base, salário família, horas extras, férias, adicional noturno, 13° salário);

- causas ensejadoras de demissão por justa causa, sem justa causa e a pedido;

- sindicatos;

- convenções e acordos coletivos de trabalho; e

- processos na justiça trabalhista (comissão de conciliação prévia, prepostos, testemunhas).

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 2 h/a.


5.2. Legislação Aplicada e Direitos Humanos

Carga horária: 20 h/a , Avaliação: V/F (2 h/a)

Objetivo da disciplina:

a) dotar o aluno de conhecimentos básicos de Direito, Direito Constitucional e Direito Penal, enfocando os principais crimes que o vigilante deve prevenir e aqueles em que pode incorrer;

b) desenvolver conhecimentos sobre conceitos, legislação e técnicas de proteção ambiental na área de vigilância, com o fim de propiciar ao vigilante oportunidade de reflexão quanto ao seu relevante papel

na preservação ambiental e os métodos como educador e fiscalizador dos direitos e deveres do cidadão para com o meio ambiente; e

c) ampliar conhecimentos para respeitar a visão política e prática da afirmação dos Direitos Humanos.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

 

1

identificar princípios constitu- cionais relacionados à segurança privada

Princípios Constitucionais:da igualdade (art. 5°, caput, da Constituição); da legalidade (art. 5°, inciso II, da Constituição); da intimidade, honra e imagem (art. 5°, inciso X, da Constituição); de domicílio (art. 5°, inciso XI, da Constituição); inviolabilidade de correspondência (art. 5°, inciso XII, da Constituição); da liberdade de trabalho (art. 5°, inciso XIII, da Constituição); de locomoção (art. 5°, inciso XV, da Constituição); De reunião (art. 5°, inciso XVI, da Constituição); de associação (art. 5°, inciso XVII, da Constituição); de propriedade (art. 5°, inciso XXII, da Constituição); da vedação ao racismo (art. 5º, inciso XLII, da Constituição) , da presunção de inocência (art. 5°, inciso LVII, da Constituição); da identidade (art. 5°, inciso LVIII, da Constituição); da liberdade (art. 5°, inciso LXI, da Constituição); dos direitos do preso (art. 5°, inciso LXIII, da Constituição); de habeas corpus (art. 5°, inciso LXVIII, da Constituição).

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxílio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 4 h/a.

 

2

interpretar os elementos do cri- me e os tipos penais mais in- cidentes sobre a atividade de segurança privada.

Direito Penal: conceito de crime (tentativa e consumação - crime doloso e culposo); excludentes de ilicitude (estado de necessidade, legítima defesa, estrito cumprimento do dever legal e exercício regular de direito); maioridade penal; autoria, co-autoria e participação; homicídio (art. 121 do Código Penal); lesão corporal (art. 129 do Código Penal); crimes contra a honra (arts. 138, 139 e 140 do Código Penal); constrangimento ilegal (art. 146 do Código Penal); ameaça (art. 147 do Código Penal); sequestro e cárcere privado (art. 148 do Código Penal); violação de domicílio (art. 150 do Código Penal); violação de correspondência (art. 151 do Código Penal); furto (art. 155 do Código Penal); roubo (art. 157 do Código Penal); dano (art. 163 do Código Penal); apropriação indébita (art. 168 do Código Penal); estelionato (art. 171 do Código Penal); receptação (art. 180 do Código Penal); incêndio (art. 250 do Código Penal); quadrilha ou bando (art. 288 do Código Penal); resistência (art. 329 do Código Penal); desobediência (art. 330 do Código Penal); desacato (art. 331 do Código Penal); e corrupção ativa (art. 333 do Código Penal). Crimes Resultantes de Preconceito de raça ou de cor - Lei nº 7.716/, de 15 de janeiro de 1989.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxílio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 8 h/a.

 

3

desenvolver conhecimentos sobre conceitos, legislação e técnicas de proteção ambiental na área de vigilância.

Meio Ambiente: conceito; proteção; desenvolvimento sustentável; coleta seletiva de lixo; crimes ambientais (Lei n° 9.605, de 12 de fevereiro de 1998): crime contra a fauna (art. 29); crime contra a flora (art. 38, 41 e 49); crimes ambientais de poluição (art. 54).

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxílio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 4 h/a.

 

4

apontar no Direito Constitucio- nal brasileiro a evolução dos direitos humanos. APONTAR os incisos do artigo 5° da

Constituição que tratam dos di- reitos e garantias individuais.

Direitos Humanos:

- evolução histórica;

- evolução histórico-constitucional dos direitos humanos no brasil; e

- conceito.

princípios fundamentais:

- direitos fundamentais da pessoa humana;

- dos direitos e garantias fundamentais (tortura, provas ilícitas, direito ao silêncio e o princípio da presunção da inocência);

- direitos fundamentais da pessoa detida; o crime de tortura no contexto dos direitos humanos e o tratamento constitucional (art. 5º da Constituição); Lei nº 9.455, de 7 de abril de 1997:

- da prisão e o direito a imagem;

- do terrorismo, da segurança do cidadão, do estado e os direitos humanos fundamentais;

- da responsabilidade civil objetiva e subjetiva e o crime de tortura, tratamento desumano ou degradante.

- da prevenção e combate à violência contra mulher: Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006;

- dos direitos das crianças e adolescentes: Lei 8.069, de 13 de julho de 1990 - noções básicas;

- dos direitos da pessoa idosa: Lei 10.741, de 1o de outubro de 2003 - noções básicas;

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxílio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 4 h/a.


5.3. Relações Humanas no Trabalho

Carga horária: 10 h/a Avaliação: V/F (1 h/a)

Objetivo da disciplina:

a) conscientizar e instrumentalizar o aluno para o desenvolvimento intra e interpessoal.

b) dotar o aluno de conhecimentos que o capacitem a desenvolver hábitos de sociabilidade e permitam o seu bom relacionamento no trabalho e em outras esferas do convívio social.

c) desenvolver atitudes para o atendimento adequado e prioritário às pessoas com deficiência.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

 

1

desenvolver hábitos de sociabilidade que permitam aprimorar seu relacionamento no trabalho e em outras esferas de convívio social.

Comunicação Interpessoal:

-princípios de comunicação interpessoal;

-processo de comunicação;

-dicção, afasias, inibições; e

-linguagem e fala.

Ética e Disciplina no Trabalho:

-normas de conduta socialmente adequadas no ambiente de trabalho; e

-trato social cotidiano: regras de convivência.

Comando e Subordinação Disciplina e Hierarquia Apresentação Pessoal:

-trato social em áreas especializadas de trabalho, como: bancos, shoppings, hospitais, escolas, indústrias, prédios, etc;

-hábitos adequados e cuidados que o homem de segurança deve ter com a sua apresentação pessoal, asseio, postura e discrição;

-princípios de apresentação pessoal; e

-asseio, postura e discrição.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 8 h/a.

 

2

desenvolver atitudes para o atendimento adequado e prioritário às pessoas com deficiência.

Atendimento às Pessoas com Deficiência:

- identificar quais características e circunstâncias que definem pessoas com deficiência; e

- atender adequada e prioritariamente as pessoas com deficiência, para que lhes seja efetivamente ensejado o pleno exercício de seus direitos sociais e individuais (vide Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989);

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 2 h/a.


5.4. Sistema Nacional de Segurança Pública e Crime Organizado

Carga horária: 10 horas-aula (h/a) Avaliação: V/F (1 h/a)

Objetivo da disciplina:

a) desenvolver conhecimentos sobre o Sistema Nacional de Segurança Pública, as atribuições constitucionais de cada corporação policial e das Forças Armadas e atribuições da guarda municipal, com o fim

de o vigilante saber como complementar com seu serviço o de segurança pública;

b) dotar o aluno de conhecimentos e dados sobre a atuação e acionamento da polícia militar em caso de ocorrência policial gerada na área de vigilância; e

c) ampliar conhecimentos para identificar grupos criminosos e seu modus operandi, para que o vigilante evite ser alvo de cooptação por parte de organização criminosa e colabore com a polícia.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

 

1

desenvolver conhecimentos sobre o Sistema Nacional de Segurança Pública, as atribuições cons- titucionais de cada corporação policial e das Forças Armadas e atribuições da guarda municipal.

Dispositivos Constitucionais:

- Sistema Nacional de Segurança Pública (art. 144 da Constituição);

- Polícia Federal (art. 144, §1°, da Constituição);

- Polícia Rodoviária Federal (art. 144, §2°, da Constituição);

- Polícias Civis (art. 144, § 4°, da ConstituiçãoCF/88);

- Polícias Militares e Bombeiros (art. 144, §§ 5° e 6°, da Constituição);

- Guarda Municipal (art. 144, § 8°, da Constituição);

- Forças Armadas (art. 142, §1°, da Constituição); e

Lei Complementar n° 97, de 09 de junho de 1999: dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 3 h/a.

 

2

dotar o aluno de conhecimentos e dados sobre a atuação e acionamento da polícia militar em caso de ocorrência policial gerada na área de vigilância.

Como Acionar os Órgãos do Sistema de Segurança Pública:

- Polícia Militar;

- telefones, alarmes;

- Polícia Judiciária; e

- boletim de ocorrência, inquérito policial e processo penal (polícia de investigação).

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 3 h/a.


3

ampliar conhecimentos para identificar grupos criminosos e seu modus operandi, para que o vigilante evite ser alvo de cooptação por parte de organização criminosa e colabore com a polícia.

Crime Organizado:

- conceito: delinquência organizada transnacional, associação ilícita, controle de área, vantagem financeira;

- potencial ofensivo: alcance, dano social, intimidação e ameaça, corrupção e infiltração,

sofisticação;

- características: pluralidade de agentes, planejamento empresarial, cadeia de comando, compartimentação, código de honra, controle territorial, estabilidade, fins lucrativos; e

- modalidades: assalto a banco, espionagem industrial, roubo de cargas, transporte de

valores, contrabando, falsificação de produtos, tráfico de drogas, desvio de dinheiro público, lavagem de dinheiro, sonegação fiscal, sequestro.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 4 h/a.


5.5 Prevenção e Combate a Incêndio

Carga horária: 6 h/a Avaliação: V/F (1 h/a) Objetivo da disciplina:

a) dotar o aluno de noções e técnicas básicas de prevenção e combate a incêndios de pequenas proporções, bem como capacitá-lo a adotar providências adequadas em caso de sinistros, principalmente para orientar a evacuação de prédios.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

 

1

dotar o aluno de noções e técnicas básicas de prevenção e combate a incêndios de pequenas proporções, bem como capacitá-lo a adotar providências adequadas em caso de sinistros, principalmente para orientar a evacuação de prédios;

Prevenção de Incêndios:

- considerações preliminares;

- conceito de fogo e incêndio;

- triângulo do fogo;

- meios de propagação;

- formação de incêndios e sinistros conexos;

- classes de incêndios;

- métodos preventivos; e

- papel dos Bombeiros e das Brigadas de Incêndio. Combate a Incêndio de Pequenas Proporções:

- métodos de extinção;

- extintores de incêndios;

- evacuação de locais; e

- trabalho em conjunto com as Brigadas de Incêndio e precedente à chegada dos Bombeiros.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais e exercício prático. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 3 h/a.

 

2

capacitar o aluno, através de exercícios simulados, a desempenhar técnicas de prevenção e combate a incêndios;

Exercícios Práticos:

- exercícios simulados para desempenhar técnicas de prevenção e combate a incêndios

- manuseio de extintores; e

- exercícios práticos para prevenir e combater incêndios.

Estratégias de Ensino: Aula de exercício prático.

Recursos: 1 professor com equipamentos e cenário adequado. Carga Horária: 3 h/a


5.6. Primeiros Socorros

Carga horária: 6 h/a Avaliação: V/F (1 h/a) Objetivo da disciplina:

a) capacitar o aluno a prestar assistência inicial em caso de emergência através de assimilação de conhecimento de primeiros socorros.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

 

1

prestar assistência inicial em caso de emergência através de assimilação de conhecimento de primeiros socorros.

Conduta na Prestação de Primeiros Socorros:

- análise primária e secundária da vítima;

- transporte de feridos;

- acidentes traumáticos e hemorrágicos;

- respiração artificial; e

- massagem cardio-pulmonar.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais e exercício prático. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 6 h/a.


5.7. Educação Física

Carga horária: 12 h/a Avaliação: V/F (2 h/a) Objetivo da disciplina:

a) ampliar conhecimentos para construir uma mentalidade de prática continuada de atividade física em busca de saúde, bem estar físico, psicológico e social;

b) exercitar/desenvolver qualidades físicas que favoreçam o aumento da capacidade física geral e específica, sempre que possível em situações compatíveis com o contexto físico, mental e social da atividade do vigilante;

c) desenvolver força e resistência muscular por meio de corridas e exercícios livres, que permitam ao praticante a manutenção de seu condicionamento independente de espaço específico ou uso de aparelhos;

e

d) fortalecer atitudes de comportamento grupal, exercitando a empatia, a cooperação, a solução compartilhada de problemas e equilíbrio frente ao desgaste emocional decorrente do desgaste físico.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

Integram o conteúdo programático:

1

mensurar pulsação como orientação à prática regular de corridas. realizar atividades de coordenação e aquisição de habilidades. desenvolver estratégias para melhorar capacidade aeróbia.

desenvolver estratégias para melhorar a resistência muscular localizada. interagir entre grupos.

- verificações diagnósticas;

- exercícios educativos de corrida;

- corridas lineares;

- exercícios localizados em circuitos; e

- orientações básicas de montagem de treinamento físico.

Estratégias de Ensino: Aula prática com treinamento progressivo da atividade de corrida, exercícios aquáticos ou circuito. Recursos: 1 professor e monitores, pista de atletismo, ginásio poliesportivo e materiais de circuito (ambientes facultativos). Carga Horária: 12 h/a.


5.8. Defesa Pessoal

Carga horária: 20 h/a Avaliação: V/F (4 h/a) Objetivo da disciplina:

a) ampliar conhecimentos para defesa própria e de terceiros durante o trabalho do vigilante e mesmo na vida cotidiana;

b) exercitar/desenvolver habilidades para domínio de pessoas, visando à realização de ações na área de vigilância com o uso adequado de força e de novas habilidades motoras, potencializando aquelas pré- adquiridas; e

c) fortalecer atitudes para valorizar o comportamento grupal, exercitando a empatia, a cooperação, a solução compartilhada de problemas e a abnegação, bem como desenvolver a coragem, decisão e iniciativa perante situações de perigo.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

 

1

executar técnicas de artes marciais eficientemente, de acordo com seus princípios teóricos e mecânicos. exercitar a coordenação motora, flexibilidade, força e velocidade.

exercitar, através de técnicas de amortecimento de quedas, mecanismos de proteção do corpo no treinamento e situação real do trabalho do vigilante.

exercitar movimentos condicionados específicos e preparatórios para o treinamento de técnicas de artes mar- ciais.

Defesa Pessoal:

a) técnicas de amortecimento de queda (Ukemi Waza):

- amortecimento de queda lateral;

- amortecimento de queda para trás;

- amortecimento de queda para frente;

- rolamento para frente; e

- rolamento para trás.

b) técnicas de projeção (Nague Waza):

- O Soto Gari;

- O Goshi;

- Koshi Guruma; e


   

- Kote Gaeshi;

c) técnicas de socos, chutes e defesas (Atemi Waza):

técnicas de socos (Tsuki Waza):

- jab / direto;

- cruzado;

- Upper; e

- cotoveladas.

técnicas de chutes (Keri Waza):

- chute frontal, lateral e circular; e

- joelhada;

técnicas de defesas (Uke Waza):

- Shuto Uke; e

- Nagashi Uke.

d) técnicas de estrangulamento:

- Hadaka Jime 1; e

- Hadaka Jime 2 ("Mata-Leão").

e) técnicas de chaves de braço e punho:

- Kote Hineri (Sankio) posição deitada;

- Kote Osae (Nikio); e

- Ude Garami.

Estratégias de Ensino: Exercícios de aquecimento, educativos para melhoria da coordenação motora, agilidade, força e flexibilidade e exercícios educativos específicos. Recursos: 1 professor e monitores, um dojô, apitos, sacos de pancadas, luvas de foco, aparadores de chutes e cronômetro.

Carga Horária: 4 h/a.

 

2

demonstrar técnicas de defesa pessoal, com base nas técnicas de artes marciais enfocadas no módulo anterior. exercitar, através de técnicas de amortecimento de quedas, mecanismos de proteção do corpo

durante o treinamento e situação real.

exercitar a coordenação motora e a flexibilidade.

Defesa Pessoal:

- defesa de soco ao rosto;

- defesa de chute frontal;

- defesa de chute lateral;

- defesa de pegada pelas costas;

- defesa de gravata lateral;

- defesa de gravata pelas costas;

- defesa de facada por baixo; e

- arma de fogo apontada ao peito.

Estratégias de Ensino: Exercícios de defesa de ataques armados e desarmados com utilização de técnicas de defesa pessoal. Recursos: 1 professor e monitores, um dojô, apitos, cronômetro, simulacros de armas de fogo, facas e bastões.

Carga Horária: 8 h/a.

 

3

demonstrar técnicas de defesa pessoal e domínio tático, com base nas técnicas de artes marciais enfocadas nos módulos anteriores;

exercitar, através de técnicas de amortecimento de quedas, mecanismos de proteção do corpo durante o treinamento e situação real.

exercitar a coordenação motora, flexibilidade, força e velocidade.

desenvolver sentimento de grupo e cooperação em situação de estresse ou perigo. desenvolver o trabalho coordenado e em equipe.

Domínio Tático:

- impedimento de saque de arma;

- retenção de saque de arma;

- domínio 1 - utilizando técnicas de estrangulamento (Hadaka Jime 1 ou 2)

- trabalho em duplas e trios;

- domínio 2 - técnicas de projeção + chave de punho (Kote Hineri). Trabalho individual e em grupo;

- domínio 3 (condução) - Ude Garami + Hadaka Jime;

- algema 1 (deitado) - Kote Hineri; e

- algema 2 (de pé) - Kote Hineri.

Estratégias de Ensino: Exercícios de defesa pessoal, domínio tático e algemas.

Recursos: 1 professor e monitores, um dojô, apitos, cronômetro, coldre, simulacros de armas de fogo e algemas. Carga Horária: 8 h/a.


5.9. Armamento e Tiro

Carga horária: 24 h/a Avaliação: V/F (4 h/a) Objetivo da disciplina:

a) discutir e analisar o uso legal e progressivo da força pelo vigilante, com amparo de sua responsabilidade ética para com a comunidade, nos mecanismos disponíveis para a proteção de sua integridade física, psíquica e a de terceiros, na sua instituição, e nos Princípios Básicos sobre o Uso da Força e Armas de Fogo;

b) avaliar as vantagens da utilização dos recursos não-letais na atividade de Segurança Privada, para que o vigilante disponha de meios adequados para aplicar a força de maneira proporcional contra uma ameaça, protegendo a sua incolumidade física bem como a de terceiros;

c) habilitar o aluno a manejar e usar com eficiência o armamento empregado na atividade de vigilância, como último recurso para defesa própria ou de terceiros; e d) fortalecer atitudes para adotar as regras de segurança necessárias em cada situação e ter conduta adequada no que concerne ao porte de arma em serviço.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

 

1

discutir e analisar o uso legal e progressivo da força pelo vigilante

elencar as qualidades necessárias ao bom desempenho do trabalho de vigilância

identificar as armas de fogo a serem utilizadas, regras de segurança e de conduta no estande e cuidados no porte.

elencar regras de segurança, limpeza e conservação

Sobrevivência do Vigilante:

- arma de fogo como último recurso para defesa pessoal ou de terceiros;

- toda missão é importante;

- trabalho em equipe;

- conduta individual (transporte e guarda);

- armamento utilizado (revólver calibre 38);

- noções básicas de balística (poder de parada e munição transfixiante);

- nomenclatura e função das principais peças; e

- limpeza e conservação.

Estratégias de ensino: Aula expositivo-dialogada-demonstrativa-prática. Recursos: 1 professor e monitores, caderno didático, sala de aula, multimídia. Carga horária: 4 h/a.

 

2

discutir e analisar o uso legal e progressivo da força pelo vigilante.

identificar as armas não-letais a serem utilizadas na vigilância patrimonial, regras de segurança e de conduta no estande e cuidados no manuseio, no transporte e armazenamento.

Autodefesa e Ação do Vigilante:

- arma não-letal como recurso valioso para defesa pessoal ou de terceiros, permite a neutralização da ação delituosa, sem a necessidade do contato físico;

- conduta individual (transporte e guarda);

- armamento e munição não-letais utilizados;

Regras de Segurança e Manejo das Armas e Munições não-letais:

- conceito de emprego;

- fundamentos do emprego das diversas munições em função do local, direção de vento e confinamento.

Estratégias de ensino: Aula expositiva-dialogada-demonstrativa-prática.

Recursos: 1 professor e monitores, multimídia, sala de aula e estande, equipamentos de defesa pessoal, munição de manejo e armas. Carga horária: 5 h/a.

 

3

capacitar o aluno a utilizar arma de fogo, nas diversas posições de tiro, através de projeção de slides, manuseio da arma e de treinamento em seco, bem como resolver incidentes de tiro (pane e solução).

Regras de Segurança e Manejo do Revólver no Estande:

- conceito de cobertura e abrigo;

- conduta no estande;

- inspeção da arma;

- carregar e descarregar o armamento;

- fundamentos do tiro (base, empunhadura, visada, respiração e acionamento da tecla do gatilho);

- posição de tiro (de pé, ajoelhado, deitado, barricada à esquerda e barricada à direita);

- incidentes de tiro (pane e solução);

- treinamento em seco com dois olhos abertos; e

- teoria e prática de saque e coldreamento da arma.

* visada e empunhadura: com os dois olhos abertos, empunhadura de mão dupla.

justificativa: estudos apontam que confrontos armados ocorrem em distâncias de 3 a 6 metros.

Estratégias de ensino: Aula expositiva, dialogada, demonstrativa e prática.

Recursos: 1 professor e monitores, multimídia, sala de aula e estande, munição de manejo. Carga horária: 5 h/a.

 

4

efetuar tiro em visão primária - tvp - nas três posições, a 7 metros, 10 tiros em cada posição, com os dois olhos abertos.

Revolver calibre 38:

- TVP de pé, a 10 metros, 10 tiros;

- TVP ajoelhado barricado, a 7 metros, 10 tiros;

- TVP deitado barricado, a 7 metros, 10 tiros;

Estratégias de ensino: Aula expositivo-dialogada-demonstrativa-prática.

Recursos: 1 professor e monitores, estande, revolver calibre 38, munição (30 tiros) Carga horária: 2 h/a.

 

5

efetuar tiro rápido - tr, partindo da posição de retenção, 5 metros, 12 tiros, com os dois olhos abertos.

revolver calibre 38:

- treino da unidade;

- treinamento em seco com munição de manejo; e

- TR, posição de retenção, a 5 metros, 2 acionamentos em 3" a cada comando - 12 tiros.

Estratégias de ensino: Aula expositivo-dialogada-demonstrativa-prática.

Recursos: 1 professor e monitores, estande, Revolver calibre 38, munição (12 tiros) Carga horária: 2 h/a.

 

6

efetuar tiro rápido, barricada à direita e à esquerda, partindo da posição de retenção, 5 metros, 12 tiros, com dois olhos abertos.

Revolver calibre 38:

- treino da unidade;

- treinamento em seco de pé;

-TR, posição de retenção, a 5 metros, barricada à direita e à esquerda, com 2 acionamentos a cada comando, em 3" - 12

tiros.

*barricada: obstáculo que permita abrigo na posição de pé, com disparos à direita e à esquerda, empunhadura dupla e os dois olhos abertos.

Estratégias de ensino: Aula expositivo-dialogada-demonstrativa-prática.

Recursos: 1 professor e monitores, estande, revolver calibre 38, munição (12 tiros) Carga horária: 2 h/a.

 

7

efetuar tiro rápido, partindo com a arma coldreada, com saque, de pé, 5 metros, 12 tiros, com dois olhos abertos.

Revólver calibre 38:

- treino da unidade; e

-TR, com saque, a 5 metros, com 2 acionamentos a cada comando, em 3" - 12 tiros.

Estratégias de ensino: Aula expositivo, dialogada, demonstrativa e prática. Recursos: 1 professor e monitores, estandes, revólver e munição (12 tiros). Carga horária: 4 h/a.

Verificação final Revólver calibre 38 10 tiros

efetuar tiro rápido, sacando a arma do coldre, de pé, a 5 metros, 2 acionamentos a cada comando, em 3" - 10 tiros, com aproveitamento de 60% dos disparos na silhueta do alvo (alvo humanóide).

MUNIÇÃO EMPREGADA POR ALUNO CALIBRE QUANTIDADE

Calibre 38 76


5.10. Vigilância

Carga horária: 14 h/a Avaliação: V/F (2 h/a) Objetivo da disciplina:

a) desenvolver conhecimentos sobre vigilância geral e sobre as áreas de vigilância especializadas, como banco, shopping, hospital, escola, indústria, com o fim de manter a integridade do patrimônio que guarda, executar os serviços que lhe competem e realizar uma vigilância dinâmica, alerta, integrada e interativa;

b) capacitar o aluno a identificar as técnicas de vigilância em geral e compreender as funções do vigilante, bem como avaliar sua importância num esquema de segurança;

c) desenvolver conhecimentos sobre o plano de segurança das empresas;

d) dotar o aluno de conhecimentos específicos que o capacitem ao desempenho das atribuições de promover a segurança física de instalações, em sua área de atuação, adotando medidas de prevenção e repressão de ocorrências delituosas; e

e) identificar emergência, evento crítico e crise.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

 

1

conhecer sobre vigilância geral e sobre as áreas de vigilância especializadas, como banco, shopping, hospital, escola, indústria, com o fim de manter a integridade do patrimônio que guarda, executar os serviços que lhe competem e realizar uma vigilância dinâmica, alerta, integrada e interativa.

Tipos de Vigilância:

- conceito de vigilância;

-perfil do vigilante (alerta, dinâmico, interativo, preventivo, proativo, técnico e adestrado);

-conceito de área de guarda (sob responsabilidade do vigilante);

- integridade patrimonial e das pessoas;

- vigilância em geral;

- vigilância em banco;

- vigilância em shopping;

- vigilância em hospital;

- vigilância em escola;

- vigilância na indústria;

- vigilância em prédio; e

- outras modalidades.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 4 h/a.

 

2

capacitar o aluno a identificar as técnicas de vigilância em geral e compreender as funções do vigilante, bem como avaliar sua importância num esquema de segurança.

Funções do Vigilante:

- identificar e compreender as funções do vigilante;

- empregar técnicas de guarda e avaliação da sua importância num esquema de segurança;

- exercer a atividade de guarda fixo e guarda móvel (ronda), sede do guarda; e

- desempenhar a função de vigilante.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 4 h/a.

 

3

dotar o aluno de conhecimentos específicos que o capacitem ao desempenho das atribuições de promover a segurança física de instalações, em sua área de atuação, adotando medidas de prevenção e repressão de ocorrências delituosas.

conhecer sobre o plano de segurança das empresas.

Segurança Física de Instalações:

- medidas necessárias a um perfeito sistema de controle e segurança física de instalações;

- proteção de entradas não permitidas;

- controle de entradas permitidas;

- prevenção de sabotagem;

- controle de entradas e saídas de materiais e pessoas; e

- plano de segurança.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 4 h/a.

 

4

dotar o aluno de conhecimentos sobre medidas a serem tomadas diante de situações emergenciais ou evento crítico.

EMERGÊNCIA E EVENTO CRÍTICO:

- assaltos, tumultos, pânicos;

- evacuação de locais;

- planos de emergência;

- explosivos;

- detecção de artefatos ou objetos suspeitos;

- chamado da polícia especializada a cada caso; e

- relatório de ocorrência.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 2 h/a.


5.11. Radiocomunicação

Carga horária: 10 h/a Avaliação: V/F (1 h/a) Objetivo da disciplina:

a) desenvolver conhecimentos teóricos e práticos sobre o sistema de telecomunicações utilizado pelas empresas de segurança. b) capacitar o aluno a usar de maneira correta e eficaz os equipamentos de comunicação.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

 

1

conhecer a teoria e a prática sobre o sistema de telecomunicações utilizado pelas empresas de segurança. capacitar o aluno a usar de maneira correta e eficaz os equipamentos de comunicação.

Equipamentos de Comunicação:

- noções gerais;

- conceito e apresentação;

- comunicação por rádio, nextel, sinais, palavras, comandos, ou outros meios;

- atendimento telefônico;

- uso do rádio;

- código "Q";

- alfabeto fonético;

- disciplina de rede; e

- operações com telefone, radiofonia e central de rádio.


Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais, equipamentos e prática. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 10 h/a.

5.12. Noções de Segurança Eletrônica

Carga horária: 10 h/a Avaliação: V/F (1 h/a) Objetivo da disciplina:

a) desenvolver conhecimentos sobre os sistemas computadorizados e de controle eletrônico não restrito, geridos por empresas e disponíveis a seus vigilantes;

b) desenvolver conhecimentos sobre os sistemas de alarmes e outros meios de alerta não restritos, geridos por empresas e disponíveis a seus vigilantes; e c) capacitar o aluno a usar de maneira correta e eficaz os equipamentos eletrônicos.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

 

1

conhecer sistemas computadorizados e de controle eletrônico não restritos, geridos por empresas e disponíveis a seus vigilantes.

capacitar o aluno a usar de maneira correta e eficaz os equipamentos.

Equipamentos Eletrônicos:

- noções gerais;

- conceito e apresentação; e

- operações com equipamentos eletrônicos disponíveis.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais, equipamentos e prática. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 5 h/a.

 

2

desenvolver conhecimentos sobre os sistemas de alarmes e outros meios de alerta, não restritos, geridos por empresas e disponíveis a seus vigilantes

capacitar o aluno a usar de maneira correta e eficaz os equipamentos.

Equipamentos Eletrônicos:

- noções gerais;

- conceito e apresentação;

- operações com equipamentos de alarme e outros meios de alerta disponíveis.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais, equipamentos e prática. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 5 h/a.


5.13. Noções de Criminalística e Técnica de Entrevista Prévia

Carga horária: 8 h/a Avaliação: V/F (1 h/a) Objetivo da disciplina:

a) dotar o aluno de conhecimentos sobre criminalística, evidências, vestígios e local de crime;

b) instrumentalizar o aluno de técnicas de isolamento do local do crime, preservação de vestígios até a chegada da polícia; observar e descrever pessoas, coisas, áreas e locais, de forma diligente; demais iniciativas que lhe competem na prevenção e repressão de ocorrências delituosas;

d) desenvolver conhecimentos visando colher dados necessários ou relevantes às investigações policiais; e

e) desenvolver conhecimentos que identifiquem as drogas mais usadas, a legislação específica, o tráfico ilícito, o uso indevido e a dependência, bem como a atividade policial preventiva e repressiva.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

 

1

dotar o aluno de conhecimentos sobre criminalística, vestígios e local de crime.

instrumentalizar o aluno de técnicas de isolamento do local do crime, preservação de vestígios até a chegada da polícia. observar e descrever pessoas, armas, veículos, coisas, áreas e locais, de forma diligente.

tomar demais medidas que lhe competem na prevenção e repressão de ocorrências delituosas, desde que não atrapalhem a atividade policial.

Local do Crime:

- noções gerais e conceito;

- objetivos: salvar vidas, prestar socorro às vítimas e auxiliar a polícia na apuração da materialidade e autoria;

- isolamento do local;

- preservação das provas ou vestígios materiais até a chegada da polícia;

- método de observação e descrição de pessoas envolvidas (características e sinais particulares, como estatura, idade, sexo, voz, cor, compleição física, cabelos, tatuagens, rosto e olhos, com o fim de reproduzir retrato falado, vestimentas, equipamentos e petrechos), armas e calibres, veículos,

equipamentos, coisas, áreas, circunstâncias, sequência dos fatos e locais.

- sistema de memorização; e

- outras providências que competem ao vigilante, desde que não atrapalhem a atividade policial.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais, equipamentos e prática. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 3 h/a.

 

2

desenvolver conhecimentos sobre técnicas de entrevista prévia, visando colher dados necessários ou relevantes às investigações policiais.

Técnica de Entrevista Preliminar:

- noções gerais e conceito;

- entrevista preliminar de autor, vítima e testemunha;

- perguntas genéricas: nome, identificação, endereço, telefone, local de trabalho e breve histórico do

envolvimento, participação ou assistência à ocorrência;

- perguntas específicas no caso de possível evasão do local ou desfalecimento de qualquer dos atores acima alencados, antes da chegada da polícia;

- preservação, compartimentação e sigilo das informações;

- elaboração de relatório para ser entregue à polícia; e

- maneiras legais de agir.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais, equipamentos e prática. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 3 h/a.

 

3

identificar as drogas mais usadas, legislação específica, tráfico ilícito, uso indevido e dependência, bem como as atividades policiais preventiva e repressiva.

Tráfico de Drogas:

- noções gerais;

-conceito e apresentação dos tipos de drogas;

- efeitos psíquicos e físicos;

- dependência, abstinência e tolerância;

- modus operandi do traficante para viciar os novos consumidores;

- educação preventiva;

- coleta de dados e informações - sigilo; e

-repasse às autoridades policiais competentes.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais, equipamentos e prática. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 2 h/a.


5.14. Uso Progressivo da Força

Carga horária: 8 h/a Avaliação: V/F (1 h/a) Objetivo da disciplina:

a) desenvolver conhecimentos gerais sobre conceitos e legislação relativos ao emprego e uso da força de maneira escalonada, com o auxílio de armas menos que letais;

b) desenvolver habilidades de utilização do uso progressivo da força; e

c) fortalecer atitudes para aplicar os conhecimentos adquiridos no desempenho das atividades de vigilância patrimonial e segurança pessoal.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

 

1

conceituar o significado do uso da força, bem como seus princípios norteadores.

conhecer e identificar as legislações sobre o uso da força, sua legalidade e as consequências jurídicas no uso incorreto e inadequado.

Conceitos e Definições:

- força;

- nível de Uso da Força;

- uso Progressivo da força;

- Código de Conduta para Encarregados da Aplicação da Lei - CCEAL; e

- Resolução 34/169 ONU/79;

Princípios Básicos sobre o Uso da Força

- legalidade;

- necessidade;

- proporcionalidade; e

- conveniência.

Código Penal: justificativas ou causas de exclusão da antijuridicidade que amparam legalmente o uso da força (art. 23, 24

e 25 do Código Penal ).

Código Penal: artigos 129, 252 e 253

Imputabilidade Penal legal do mau uso/excesso.


Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 4 h/a

 

2

identificar a necessidade do uso da força.

identificar os níveis de utilização da força progressiva e sua utilização, bem como listar os procedimentos a serem seguidos antes, durante e depois do uso da força.

Níveis de Força

- presença física;

- verbalização;

- controle de contato ou controle de mãos livres;

- técnicas de submissão;

- fáticas defensivas não letais; e

- força letal.

Triângulo da Força Letal

- habilidade;

- oportunidade; e

- risco.

Modelo básico do Uso Progressivo da Força

Estratégias de Ensino: Aula expositiva e demonstrativa, com auxilio de recursos audiovisuais, exercícios práticos simulados e demonstração com equipamento real

Recursos: 1 professor e caderno didático. Carga Horária: 4 h/a


5.15. Gerenciamento de Crise

Carga horária: 8 h/a Avaliação: V/F (1 h/a)

Objetivo da disciplina:

a) dotar o aluno de conhecimentos para desempenhar de forma eficaz suas atividades, especialmente no momento de uma ocorrência fática de crise ou conflito; e

b) desenvolver conhecimentos sobre as diferenças de crise e conflito, apresentando ao aluno diversos exemplos e simulados de gerenciamento de crise.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

Integram o conteúdo programático:

1

conhecer como desempenhar de forma eficaz suas atividades, especialmente no momento de uma ocorrência fática de crise ou conflito.

- introdução e princípios básicos sobre crise;

- características de uma crise;

- critérios de ação no gerenciamento de crises;

- objetivos do gerenciamento de crises;

- classificação dos graus de risco ou ameaça;

- níveis de resposta e fatores que influenciam na classificação de eventos críticos e na gradação de sua periculosidade;

- autoridades locais que devam ser imediatamente comunicadas;

- plano de segurança da empresa.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais, equipamentos e prática. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 4 h/a.

 

2

desenvolver conhecimentos sobre as diferenças de crise e conflito, apresentando ao aluno diversos exemplos e simulados de gerenciamento de crise.

Integram o conteúdo programático:

- conceito de crise;

- conceito de conflito;

- características de uma crise;

- conceito de gerenciamento de crises;

- objetivos do gerenciamento de crises;

- fontes de informação numa crise;

- autoridades locais que devam ser imediatamente comunicadas;

- apresentação de diversos exemplos sobre situações reais onde houve, ou não, a utilização de técnicas de gerenciamento de crise.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais, equipamentos e prática. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 4 h/a.


 

ANEXO II

RECICLAGEM DO CURSO DE FORMAÇÃO DE VIGILANTE PROGRAMA DE CURSO

1. REQUISITO

Ter concluído o CFV

2. OBJETIVO

Dotar o aluno de conhecimentos, técnicas, habilidades e atitudes que o recapacite para o exercício da atividade de segurança privada.

3. ORGANIZAÇÃO

O curso funcionará de acordo com as disposições contidas neste Programa de Curso, no Regime Escolar dos Cursos de Formação e demais normas vigentes.

3.1 Metodologia

Os Cursos de Formação adotarão a metodologia do ensino direto, utilizando-se de métodos e técnicas de ensino individualizado, coletivo e em grupo, enfatizando ao máximo, a parte prática, no intuito de alcançar os objetivos propostos para o curso. Os exercícios simulados, aproximados ao máximo da realidade, serão admitidos para aguçar a destreza e como antecipação aos exercícios reais.

A disposição do plano de curso e a grade horária ficam a cargo dos cursos de formação, em conformidade com este programa de curso.

Os professores serão selecionados conforme as especialidades, por meio de credenciamento, e os monitores serão de livre opção dos cursos de formação, desde que estas observem o desenvolvimento do conteúdo programático e a segurança dos alunos.

Os cursos de formação deverão manter em arquivo os planos de aula elaborados pelos professores, a serem apresentados por ocasião das inspeções.

As aulas de armamento e tiro deverão valorizar o manuseio e propiciar intimidade com a arma, mediante exercícios de empunhadura, visada e tiros em seco, antes do tiro real, bem como devem ser ministradas em dois turnos em dias diferentes.

3.2 Carga horária

A carga horária total do curso será de 50 h/a, podendo ocorrer diariamente no máximo 10 h/a.

3.2.3 Distribuição do tempo

a) Disciplinas curriculares .... 47 h/a

b) Verificação de aprendizagem .... 3 h/a

TOTAL .... 50 h/a

3.3 Grade curricular

Disciplina

Objetivos

Carga Ho- rária

Revisão e atua- lização das dis- ciplinas básicas

São os objetivos:

a) desenvolver conhecimentos sobre conceitos e legislação de segurança privada, papel das empresas e dos representantes de classe, direitos, deveres e atribuições do vigilante;

b) identificar direitos e deveres trabalhistas do vigilante;

c) recordar e atualizar conhecimentos básicos de Direito, Direito Constitucional e Direito Penal, enfocando os principais crimes que o vigilante deve prevenir e aqueles que pode incorrer na atividade de segurança privada, a partir dos conhecimentos adquiridos no CFV;

d) desenvolver atitudes para o atendimento adequado e prioritário às pessoas com deficiência;

e) recordar os conhecimentos que capacitem o aluno a desenvolver hábitos de sociabilidade que permitam aprimorar seu relacionamento no trabalho e em outras esferas de convívio social, especialmente no trato em áreas especializadas de trabalho, como: bancos, shoppings, hospitais, escolas, indústrias, prédios, etc;

f) reforçar o conhecimento objetivando coibir a prática de atividades discriminatórias ou em desrespeito aos direitos humanos, especialmente na perspectiva de combate á violência de gênero, orientação sexual, contra a criança, adolescente, idoso e portador de necessidade especial;

g) recordar conhecimentos sobre o Sistema Nacional de Segurança Pública, atribuições constitucionais de cada corporação policial e das Forças Armadas e atribuições da guarda municipal;

h) reforçar o aluno de noções e técnicas básicas de prevenção e combate a incêndios e primeiros socorros;

i) reforçar conhecimentos sobre vigilância geral e sobre as áreas de vigilância especializadas;

j) recordar os conhecimentos sobre radiocomunicação e segurança eletrônica;

l) relembrar conhecimentos gerais sobre conceitos e legislação relativos ao emprego e uso da força de maneira escalonada; e m) recordar os conhecimentos sobre gerenciamento de crise, outras aplicações práticas.

32 h/a

Armamento e tiro

ARMAMENTO E TIRO

a) recordar e praticar técnicas de uso e manejo do armamento empregado na atividade de segurança privada, como último recurso de defesa pessoal ou de terceiros;

b) realizar limpeza e conservação da arma; e c) praticar tiro.

10 h/a

Educação física

a) manutenção do condicionamento físico, recordar a capacitação do aluno a desenvolver um programa básico permanente de preparação física pessoal.

5 h/a


3.4 Frequência

A frequência é obrigatória a todas as atividades programadas para os alunos. Somente será submetido à avaliação final o candidato que houver concluído o curso com frequência de 90 % da carga horária

de cada disciplina, sendo considerado aprovado aquele que obtiver o índice mínimo de aproveitamento de 60 % em cada disciplina.

Será desligado do curso o aluno que ultrapassar o limite de faltas previsto no plano de curso, podendo aproveitar as disciplinas já concluídas em curso subsequente, desde que iniciado dentro do prazo máximo

de 3 meses da conclusão do curso anterior.

3.5 Composição das turmas

As turmas serão compostas de classe com no máximo 45 alunos cada uma.

3.6 Avaliação

Ao final da reciclagem será realizada uma única avaliação de aprendizagem escrita, do tipo objetiva, sendo considerado aprovado o aluno que obtiver um mínimo de 6 pontos num máximo de 10 pontos. A avaliação de aprendizagem da matéria de "Armamento e Tiro" constará do desempenho do aluno em aula, mediante conceito individualizado atribuído pelo instrutor, não importando computação na nota do curso.

Será desligado do curso o aluno que for reprovado em uma ou mais matérias, podendo aproveitar as disciplinas já concluídas em curso subsequente, desde que iniciado dentro do prazo máximo de 3 meses da conclusão do curso anterior.

4. PROGRAMA DE MATÉRIAS

4.1 REVISÃO E ATUALIZAÇÃO DAS DISCIPLINAS BÁSICAS Carga horária: 32 h/a Avaliação: V/F (3 h/a)

Objetivo da disciplina:

a) desenvolver e atualizar conhecimentos sobre conceitos e legislação de segurança privada, papel das empresas e dos representantes de classe, direitos, deveres e atribuições do vigilante, Direito (Constitucional e Penal), direitos humanos, combate à prática de racismo , relações humanas, atendimento adequado e prioritário às pessoas com deficiência, segurança pública, preservação do local de crime, técnica de entrevista, radiocomunicação, alarmes, vigilância, uso progressivo da força e gerenciamento de crises; e

b) fortalecer atitudes para aplicar os conhecimentos adquiridos no desempenho das atividades de segurança privada.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

 

1

- desenvolver conhecimentos sobre conceitos e legislação de segurança privada;

- recordar e atualizar conhecimentos básicos de direito, direito constitucional e direito penal, enfocando os principais crimes que o vigilante deve prevenir e aqueles que pode incorrer na atividade de segurança privada, a partir dos conhecimentos adquiridos no curso de formação de vigilante;

- atualizar o aluno em noções e técnicas básicas de prevenção e combate a incêndios de pequenas proporções, bem como nas técnicas de primeiros socorros em caso de emergência;

Aspectos legais sobre segurança privada (Lei n° 7.102, Decreto n° 89.056, Portaria da Policia Federal que dispõe sobre as normas relacionadas às atividades de Segurança Privada)

Papel do empresário e do representante de classe Direito, deveres e atribuições do vigilante

Princípios Constitucionais:

- da igualdade (art. 5°, da Constituição);

- da liberdade de trabalho (art. 5°, inciso XIII, da Constituição);

- de locomoção (art. 5°, inciso XV, da Constituição);

- de reunião (art. 5°, inciso XVI, da Constituição);

- de propriedade (art. 5°, inciso XXII, da Constituição);

- da identidade (art. 5°, inciso LVIII, da Constituição);

- da liberdade (art. 5°, inciso LXI, da Constituição); e

- da vedação ao racismo (art. 5º, inciso XLII, da Constituição). Direito Penal:

- conceito de crime (tentativa e consumação - crime doloso e culposo);

- excludentes de ilicitude (estado de necessidade, legítima defesa, estrito cumprimento do dever legal e exercício regular de direito);

- autoria, co-autoria e participação;

- homicídio (art. 121 do Código Penal);

- lesão corporal (art. 129 do Código Penal);

- crimes contra honra (arts. 138, 139 e 140 do Código Penal);

- sequestro e cárcere privado (art. 148 do Código Penal);

- roubo (art. 157 do Código Penal);

- dano (art. 163 do Código Penal);

- apropriação indébita (art. 168 do Código Penal);

- quadrilha ou bando (art. 288 do Código Penal);

-boletim de ocorrência, inquérito policial e processo penal;

- crimes resultantes de preconceito de raça ou cor:

- Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989;

- da prevenção e combate à violência contra mulher: Lei nº 11.340, de 2006;

- dos direitos das crianças e adolescentes: Lei 8.069, de 1990 - noções básicas; e

- dos direitos da pessoa idosa: Lei 10.741, de 2003 - noções básicas.

Direito Trabalhista:

- contrato de trabalho (salário, adicionais, estabilidade no emprego);

- salário (salário-base, salário família, horas extras, férias, adicional noturno, 13° salário);

- causas ensejadoras de demissão por justa causa, sem justa causa e a pedido;

- sindicatos convenções e acordos coletivos de trabalho;

-processos na justiça trabalhista (comissão de conciliação prévia, preposto, testemunhas);

direitos humanos e relações humanas;

- atendimento adequado e prioritário às pessoas com deficiência;

- trato social em áreas especializadas de trabalho, como: bancos, shoppings, hospitais, escolas, indústrias, prédios, etc; Combate a Incêndio de Pequenas Proporções:

- métodos de extinção;

- extintores de incêndios; e

- evacuação de locais.

Conduta na Prestação de Primeiros Socorros:

- análise primária e secundária da vítima;

- transporte de feridos;

- acidentes traumáticos e hemorrágicos;

- respiração artificial; e

- massagem cardio-pulmonar.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais e exercício prático. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 12h/a

 

2

- atualizar e reavaliar conhecimentos sobre vigilância, uso progressivo da força e gerenciamento de crises;

modalidades de vigilância (banco, shopping, hospital, escola, indústria, prédios)

técnicas de vigilância

controle de entrada e saída de pessoas identificação de suspeitos

planos de segurança

- nível de uso da força

- uso progressivo da força

Código Penal: justificativas ou causas de exclusão da antijuridicidade que amparam legalmente o uso da força (art. 23, 24

e 25 do Código Penal)

Código Penal: artigos 129, 252 e 253

imputabilidade penal legal do mau uso/excesso níveis de força

- presença física

- verbalização

- controle de contato ou controle de mãos livres

identificação de emergências, crises, ou qualquer evento crítico: medidas imediatas e mediatas

-critérios de ação no gerenciamento de crises;

-objetivos do gerenciamento de crises;

-classificação dos graus de risco ou ameaça;

-níveis de resposta e fatores que influenciam na classificação de eventos críticos e na gradação de

sua periculosidade;

-autoridades locais que devam ser imediatamente comunicadas.

-apresentação de casos práticos.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 12h/a

 

3

- atualizar e reavaliar os conhecimentos e o emprego do rádio e outros meios de comunicação;

- atualizar e reavaliar os conhecimentos e o emprego de alarmes, outros meios de alerta não restritos, geridos por empresas e disponíveis a seus vigilantes, bem como outros equipamentos eletrônicos;

- sistema de telecomunicação utilizado pela empresa e disponibilidade no mercado;

- vigilância eletrônica, alarmes e outros equipamentos eletrônicos; e

- manuseio, uso correto, conservação e manutenção.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 4 h/a

 

4

- desenvolver e atualizar conhecimentos sobre segurança pública, acionamento dos órgãos competentes quando necessário, identificação de quadrilhas e suspeitos, técnica de entrevista, relatório, informações à polícia, sobre a prestação de informações à polícia federal, ocorrência policial, inquérito policial, ação penal;

- reforçar os conhecimentos para identificação de grupos criminosos e seu modus operandi,

- órgãos policiais (como acionar, relacionamento);

- quadrilhas e suspeitos, modus operandi;

- local do crime: isolamento, medidas imediatas, sem interferir e nem inviabilizar o trabalho da polícia;

- preservação de vestígios;


 

para que o vigilante evite ser alvo de cooptação por parte de organização criminosa e colabore com a polícia;

- entrevista preliminar quando as pessoas tendem a se dispersar antes da chegada da polícia;

- observar e descrever pessoas, coisas, veículos, cenas, locais, armas, etc;

- identificação de drogas;

- trato com as vítimas; e

-modalidades: assalto a banco, espionagem industrial, roubo de cargas, transporte de valores,

contrabando, falsificação de produtos, tráfico de drogas, desvio de dinheiro público, lavagem de dinheiro, sonegação fiscal, sequestro.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 4h/a


4.2 Armamento e Tiro

Carga horária: 10 h/a Avaliação: V/F (conceito do instrutor) Objetivo da disciplina:

a) discutir e analisar o uso legal e progressivo da força pelo vigilante até o emprego da arma de fogo;

b) habilitar o aluno a manejar e usar com eficiência o armamento empregado na atividade de vigilância de segurança privada, como último recurso para defesa própria ou de terceiros;

c) fortalecer atitudes para adotar as regras de segurança necessárias em cada situação e ter conduta adequada no que concerne ao porte de arma em serviço; e d) praticar tiro.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

 

1

- elencar regras de segurança, limpeza e conservação, nomenclatura e posição de tiro;

- capacitar o aluno a utilizar arma de fogo, através de projeção de slides, manuseio da arma e treino em seco, bem como resolver incidente de tiro (pane);

- efetuar tiro em visão primaria tvp, partindo da posição de retenção, 7 metros dois olhos abertos, 12 tiros;

Revolver calibre 38:

- nomenclatura e funcionalidade;

- limpeza e conservação;

- carregar e descarregar a arma;

- incidente de tiro (sanar pane);

- TVP, em pé, 7 metros, dois olhos abertos, 12 tiros.

Estratégias de ensino: Aula expositiva-dialogada-demonstrativa-prática.

Recursos: 1 professor e monitores, estande, revolver calibre 38 e munição (12 tiros) Carga horária: 4 h/a.

 

2

efetuar tiro rápido, retenção, 5 metros, com dois olhos abertos, 8 tiros;

Revolver calibre 38:

- treino da unidade;

- treinamento em seco; e

- T. R, retenção, 5 metros, barricada à direita e à esquerda, 2 acionamentos em 3" a cada comando, 08 tiros.

Estratégias de ensino: Aula expositiva-dialogada-demonstrativa-prática.

Recursos: 1 professor e monitores, estande, revolver calibre 38, munição (08 tiros) Carga horária: 2 h/a.

 

3

efetuar tiro rápido, barricada à direita e à esquerda, partindo da posição de retenção, 5 metros, 8 tiros, com dois olhos abertos;

Revolver calibre 38:

- treino da unidade;

- treinamento em seco; e

- T. R, retenção, 5 metros, barricada à direita e à esquerda, 2 acionamentos em 3" a cada comando, 08 tiros.

Estratégias de ensino: Aula expositiva-dialogada-demonstrativa-prática.

Recursos: 1 professor e monitores, estande, revolver calibre 38, munição (08 tiros) Carga horária: 2 h/a.

 

4

efetuar tiro rápido, sacando (arma no coldre), 5 metros, com dois olhos abertos, 12 tiros;

revólver calibre 38

Revolver calibre 38

- treino da unidade;

- treinamento em seco; e

- T.R, sacando, 5 metros, 2 acionamentos em 3" a cada comando, 12 tiros.

Estratégias de ensino: Aula expositiva-dialogada-demonstrativa-prática.

Recursos: 1 professor e monitores, estande, revolver calibre 38 e munição (12 tiros) Carga horária: 2 h/a.

MUNIÇÃO EMPREGADA POR ALUNO CALIBRE QUANTIDADE

Calibre 38 40


4.3 Educação Física

Carga horária: 5 h/a Avaliação: V/F (conceito do instrutor - Apto ou Inapto) Objetivo da disciplina:

a) relembrar conhecimentos para construir uma mentalidade de prática continuada de atividade física em busca de saúde, bem estar físico, psicológico e social, bem como conceitos de qualidade físicas que favoreçam o aumento da capacidade física geral e específica, sempre que possível em situações compatíveis com o contexto físico, mental e social da atividade do vigilante; e

b) desenvolver força e resistência muscular por meio de corridas e exercícios livres, que permitam ao praticante a manutenção de seu condicionamento independente de espaço específico ou uso de aparelhos.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

Integram o conteúdo programático:

1

- mensurar pulsação como orientação à prática regular de corridas;

- desenvolver estratégias para melhorar capacidade aeróbia;

- desenvolver estratégias para melhorar a resistência muscular localizada.

- verificações diagnósticas;

- exercícios educativos de corrida;

- corridas lineares;

- exercícios localizados em circuitos; e

- orientações básicas de montagem de treinamento físico.

Estratégias de Ensino: Aula prática com treinamento progressivo da atividade de corrida, exercícios aquáticos ou circuito. Recursos: 1 professor e monitores, pista de atletismo, ginásio poliesportivo e materiais de circuito (ambientes facultativos). Carga Horária: 5 h/a.



 

ANEXO III

altera o anexo XI da Portaria nº 3233/12-DG/DPF - ANEXO XI

CURSO DE EXTENSÃO EM SEGURANÇA PARA GRANDES EVENTOS - SGE PROGRAMA DE CURSO

1. REQUISITO

Ter concluído o CFV.

2. OBJETIVO

Dotar o aluno de conhecimentos, técnicas, habilidades e atitudes que o capacitem para o exercício da atividade de segurança das pessoas e do patrimônio nos recintos onde forem realizados grandes eventos, adotando medidas preventivas e repressivas nos limites de suas tarefas no âmbito operacional da estrutura de segurança, numa função complementar às atividades dos órgãos estatais de segurança e serviços, sem prejuízo das competências que são específicos dessas forças, com o fim de prover a segurança de todos os envolvidos no evento, assegurando um ambiente confortável, seguro e de perfeita normalidade e harmonia para os organizadores e espectadores.

3. ORGANIZAÇÃO

Esta extensão funcionará de acordo com as disposições contidas neste programa de curso, no regime escolar dos cursos de formação e demais normas vigentes.

3.1 Metodologia

Os cursos de formação adotarão a metodologia do ensino direto, utilizando-se de métodos e técnicas de ensino individualizado, coletivo e em grupo, enfatizando ao máximo a parte prática, no intuito de alcançar os objetivos propostos para o curso. Os exercícios simulados, aproximados ao máximo da realidade, são indicados para aguçar a destreza e como antecipação ao emprego efetivo, desde que em condições de segurança adequadas, a cargo e sob a responsabilidade do curso.

Poderão os cursos de formação se utilizar de aulas práticas, as quais deverão ter seu cenário preparado com antecedência, com o fim de se alcançar o máximo de aproveitamento do curso ministrado. A disposição do plano de curso e da grade horária fica a cargo dos cursos de formação, respeitado este programa de curso.

A linguagem usada pelo professor e a complexidade na apresentação dos temas deverão levar em consideração a escolaridade e níveis de compreensão do grupo. Os professores serão selecionados conforme as especialidades, por meio de credenciamento junto à Polícia Federal.

Os professores deverão observar os conhecimentos adquiridos no curso de formação de vigilante no que é pertinente ao conteúdo programático de sua disciplina, para não haver sobreposição, sem, no entanto, deixar de ampliar e reforçar o aprendizado.

Os cursos de formação deverão manter em arquivo o plano de curso, grade horária e os planos de aula elaborados pelos professores, a serem apresentados por ocasião da fiscalização.

3.2 Carga horária

A carga horária total do curso será de 50 h/a, podendo ocorrer diariamente no máximo 10 h/a.

3.2.3 Distribuição do tempo a)Disciplinas Curriculares .... 45 h/a b)Verificação de aprendizagem .... 5 h/a TOTAL .... 50 h/a

3.3 Grade curricular

Disciplina

Objetivos

Carga Ho- rária

PAPEL DO VIGILANTE NA ESTRUTURA DE SEGURANÇA EM RE- CINTOS DE

GRANDES EVENTOS

Desenvolver conhecimentos sobre conceitos, legislação e acordos entre os organizadores dos grandes eventos e os entes políticos, especialmente no que tange à segurança nos recintos desportivos utilizados nos eventos da Copa das Confederações em 2013, na Copa do Mundo em 2014 e nas Olimpíadas em 2016.

Desenvolver conhecimentos adequados das estruturas físicas de segurança dentro dos locais onde serão realizados os grandes eventos e o respectivo plano de segurança, incluindo a divisão setorial da cadeia hierárquica de comando.

Identificar o papel da segurança privada integrada às forças públicas de segurança e outros serviços públicos.

Identificar a cadeia de comando na estrutura de segurança de um grande evento, seguir o canal de comando e os meios de comunicação disponibilizados, notadamente as formas de comunicação da central de segurança, estabelecendo o conceito de hierarquia de ações.

Adequar o comportamento do vigilante quando integrado na estrutura de segurança de um grande evento e seu papel dentro do plano de segurança. Identificar as tarefas do vigilante e seus limites.

Identificar direitos e deveres do vigilante, bem como dos espectadores.

5 h/a

CONTROLES DE ACESSO

Identificar e desenvolver técnicas de controle de acesso. Capacitar o aluno para realizar revistas pessoais.

Identificar objetos e substâncias proibidas, ou suscetíveis a possibilitar atos de violência, bem como identificar práticas de burlas por maus espectadores ao sistema de controle.

5 h/a

GERENCIAMENTO DE PÚBLICO

Desenvolver habilidades e técnicas de atuação e comunicação para dar resposta aos problemas dos espectadores, tanto no campo legal, nas normas dos locais dos grandes eventos, nos acessos às dependências dos estádios e demais localidades onde o grande evento é realizado, bem como nos aspectos relacionados ao conforto e bem estar dos espectadores e organizadores, com especial atenção aos portadores de deficiências, crianças e idosos.

Respeitar a diversidade e as diferenças entre as pessoas, principalmente no que tange diversidade de orientação sexual e combate ao racismo.

Capacitar o aluno a conduzir conversas de nível simples a intermediário, com o objetivo de dar informações, indicar acessos, oferecer ajuda e o que mais for pertinente às

tarefas afetas ao vigilante.

Capacitar o aluno a promover a calma dos espectadores.

Identificar, esclarecer e exemplificar as responsabilidades do vigilante quando praticar atitudes errôneas.

Ampliar e atualizar os conhecimentos básicos de Direito, Direito Constitucional, Direito Processual Penal e Direito Penal, enfocando os principais crimes que o vigilante deve prevenir e aqueles em que pode incorrer na atividade de segurança em recinto de grande evento, a partir dos conhecimentos adquiridos no CFV.

15 h/a

GESTÃO DE MULTI- DÕES E MANUTEN- ÇÃO DE UM AMBIEN- TE SEGURO,

HARMÔNICO E CON- FORTÁVEL

Identificar princípios de gestão de multidões e seus comportamentos numa crise. Identificar a psicologia básica a ser usada no controle de multidões.

Dinâmica de multidões, densidades, tensões e superlotações.

Capacitar o aluno a resolver, em equipe e adotando o uso progressivo da força, as situações de emergência relacionadas a comportamentos impróprios de espectadores, incidentes estruturais ou tumultos generalizados.

Capacitar o aluno a tomar as primeiras providências e preservar o local do incidente no caso de forças públicas ou serviços públicos serem demandados a intervir, repassando com presteza a ocorrência com todas as suas circunstâncias e medidas tomadas.

Identificar e comunicar seu superior sobre comportamentos anti-sociais, racistas, xenófobos, ou contra crianças e idosos.

Desenvolver técnicas de dissuasão de tais comportamentos, caso sua atuação, individual ou em equipe, seja suficiente para encerrar a ocorrência, sem deixar de fazer o devido encaminhamento as autoridades públicas quando a ocorrência caracterizar ilícito penal.

Desenvolver atitudes para neutralizar violação aos regramentos do estádio, ao estatuto do torcedor, ou presença de espectadores banidos. Tomar conhecimento dos planos de contingência e de emergência, rotas de acesso e de evacuação.

Desenvolver respostas a incidentes, como decisões da arbitragem, movimentação de massas e evacuações.

Desenvolver exercício prático de formações, como cortina humana para impedir avanços de multidões e outros gerenciamentos e separação de conflitos, como contenções e

escoltas.

Instruir o vigilante de conhecimento para identificar os acessos, dependências, meios de comunicação, central de segurança, bem como noções no caso de desencadeamento de plano de contingência.

15 h/a

RESOLUÇÃO DE SI- TUAÇÕES DE EMER- GÊNCIAS

Ampliar e revisar os conhecimentos adquiridos nas disciplinas de "Prevenção e Combate a Incêndio" e "Primeiros Socorros" durante o CFV.

Dotar o aluno de noções e técnicas básicas de prevenção e combate a incêndios, bem como capacitá-lo a adotar providências adequadas em caso de sinistros, principalmente na evacuação de recintos onde são realizados grandes eventos.

Capacitar o aluno a prestar assistência inicial em caso de emergência através de assimilação de conhecimento de primeiros socorros, com o fim de preservar a vida, minimizar

os efeitos das lesões e auxiliar na recuperação do sinistrado.

Dotar o aluno de habilidades para atuar corretamente, individualmente e/ou como membro de uma equipe de segurança, na execução dos planos de evacuação do recinto do grande evento, ou na execução do plano de contingência.

5 h/a


3.4 Composição das turmas

As turmas serão compostas de classe com no máximo 45 alunos cada uma.

3.5 Frequência

A frequência é obrigatória a todas as atividades programadas para os alunos. Somente será submetido à avaliação final o candidato que obtiver frequência de 90 % da carga horária em cada disciplina. Será desligado do curso o aluno que ultrapassar o limite de faltas previsto no plano de curso, podendo aproveitar as disciplinas já concluídas em curso subsequente, desde que iniciado dentro do prazo máximo

de 3 meses da conclusão do curso anterior.

3.6 Avaliação

Ao final das disciplinas teóricas será realizada uma avaliação de aprendizagem (prova objetiva) em cada qual, sendo considerado aprovado o aluno que obtiver um mínimo de 6 pontos num máximo de 10

pontos.

4. PROGRAMA DE MATÉRIAS

4.1 PAPEL DO VIGILANTE NA ESTRUTURA DE SEGURANÇA EM RECINTOS DE GRANDES EVENTOS (PVRGE) Carga horária: 05 h/a Avaliação: V/F (1 h/a)

Objetivo da disciplina:

a) desenvolver conhecimentos sobre conceitos, legislação e acordos entre os organizadores dos grandes eventos e os entes políticos, especialmente no que tange à segurança nos recintos desportivos utilizados

nos eventos da Copa das Confederações em 2013, na Copa do Mundo em 2014 e nas Olimpíadas em 2016;

b) desenvolver conhecimentos adequados das estruturas físicas de segurança dentro dos locais onde serão realizados os grandes eventos e o respectivo plano de segurança, incluindo a divisão setorial da cadeia hierárquica de comando;

c) identificar o papel da segurança privada integrada às forças públicas de segurança e outros serviços públicos;

d) identificar a cadeia de comando na estrutura de segurança de um grande evento, seguir o canal de comando e os meios de comunicação disponibilizados, notadamente as formas de comunicação da central de segurança, estabelecendo o conceito de hierarquia de ações;

e) adequar o comportamento do vigilante quando integrado na estrutura de segurança de um grande evento e seu papel dentro do plano de segurança;

f) identificar as tarefas do vigilante e seus limites; e

g) identificar direitos e deveres do vigilante, bem como dos espectadores.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

Integram o conteúdo programático:

1

desenvolver conhecimentos sobre a constituição federal e os aspectos que envolvem a competência dos vigilantes durante a sua atuação em grandes eventos, bem como sobre os direitos básicos do consumidor os quais pautam as relações de consumo e asseguram os direitos e deveres dos frequentadores dos grandes eventos;

desenvolver conhecimentos sobre as prerrogativas e deveres dos vigilantes, bem como os

regramentos definidos na economia popular, ressaltando a impossibilidade de atuação de cambistas nas proximidades dos grandes eventos;

desenvolver conhecimentos sobre o estatuto do torcedor e das regras definidas pelos entes políticos e os promotores e organizadores dos grandes eventos.

conceituar e conhecer o sistema de comando em operações (sco).

desenvolver conhecimentos de situações de emprego do sco, bem como de suas áreas de atuação.

- aspectos pertinentes da constituição federal;

- aspectos pertinentes do código de defesa do consumidor;

- aspectos pertinentes do estatuto do torcedor;

- aspectos pertinentes sobre economia popular;

- regulamento de segurança da FIFA;

- direitos e deveres dos vigilantes quando atuam em grandes eventos;

- atribuições das forças de segurança pública;

- atribuições das forças de segurança privada;

- aspectos pertinentes da portaria da Policia Federal que dispõe sobre as normas relacionadas às atividades de segurança privada;

- conceito de SCO;

- características e princípios do SCO;

- áreas de atuação, instalações e atribuições do SCO; e

- detecção de situações críticas e das necessidades de acionamento do SCO.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 5 h/a.


4.2 CONTROLE DE ACESSO (CA)

Carga horária: 5 h/a Avaliação: V/F (1 h/a) Objetivo da disciplina:

a) identificar e desenvolver técnicas de controle de acesso;

b) capacitar o aluno para realizar revistas pessoais; e

c) identificar objetos e substâncias proibidas, ou suscetíveis a possibilitar atos de violência, bem como identificar práticas de burlas por maus espectadores ao sistema de controle.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

Integram o conteúdo programático:

1

identificar e empregar os meios, técnicas e táticas de controle de acesso em grandes eventos.

- balizamento de portões e área do local do evento (controle de acesso às bilheterias, monitoramento preventivo do local do evento, prevenção contra invasão ao local do evento);

- imobilização e registro;

- apoio para registro de fatos ocorridos no evento;

- intervenção repressiva rápida; e

- observação do público (segurança preventiva do público, monitoramento preventivo do comércio)

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 5 h/a.


4.3 GERENCIAMENTO DE PÚBLICO

Carga horária: 15 h/a Avaliação: V/F (1 h/a)

Objetivo da disciplina:

a) desenvolver habilidades e técnicas de atuação e comunicação para dar resposta aos problemas dos espectadores, tanto no campo legal, nas normas dos locais dos grandes eventos, nos acessos às dependências

dos estádios e demais localidades onde o grande evento é realizado, bem como nos aspectos relacionados ao conforto e bem estar dos espectadores e organizadores, com especial atenção aos portadores de deficiências,

crianças e idosos;

b) respeitar a diversidade e as diferenças entre as pessoas, principalmente no que tange diversidade de orientação sexual e combate ao racismo;

c) capacitar o aluno a conduzir conversas de nível simples a intermediário, com o objetivo de dar informações, indicar acessos, oferecer ajuda e o que mais for pertinente às tarefas afetas ao vigilante;

d) capacitar o aluno a promover a calma dos espectadores;

e) identificar, esclarecer e exemplificar as responsabilidades do vigilante quando praticar atitudes errôneas; e

f) ampliar e atualizar os conhecimentos básicos de Direito, Direito Constitucional, Direito Processual Penal e Direito Penal, enfocando os principais crimes que o vigilante deve prevenir e aqueles em que pode

incorrer na atividade de segurança em recinto de grande evento, a partir dos conhecimentos adquiridos no CFV.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

Integram o conteúdo programático:

1

identificar e empregar os meios, técnicas e táticas de gerenciamento de público em grandes eventos.

- funções a serem potencializadas antes, durante e após o evento;

- funções a serem desenvolvidas antes da realização do evento (observação prévia, isolamentos, reserva de local para estacionamento de delegações, credenciamento de imprensa);

- funções alusivas à proteção das instalações do local do evento e isolamentos pré-determinados;

- funções a serem desenvolvidas para a recepção e escolta das delegações e dos árbitros, em se tratando de eventos esportivos;

- funções a serem desenvolvidas para recepção, orientação e direcionamento dos espectadores do evento;

- funções alusivas ao direcionamento das autoridades nos diversos níveis;

- funções alusivas à proteção de acesso ao gramado, em se tratando de eventos esportivos;

- funções alusivas ao monitoramento do comportamento dos frequentadores;

- funções a serem desenvolvidas por ocasião do encerramento do evento;

- funções alusivas à desmobilização dos profissionais envolvidos;

- Princípios Constitucionais:

- da igualdade (art. 5º caput, cf/88);

- da legalidade (art. 5°, II, da Constituição);

- da intimidade, honra e imagem (art. 5°, x, da Constituição);

- de locomoção (art. 5°, inciso XV, da Constituição);

- de reunião (art. 5°, inciso XVI, da Constituição);

- de associação (art. 5°, XVII, da Constituição);

- de propriedade (art. 5°, inciso XXII, da Constituição);

- da presunção de inocência (art. 5°, LVII, cf/88);

- da identidade (art. 5°, inciso LVIII, da Constituição);

- da liberdade (art. 5°, inciso LXI, da Constituição);

- dos direitos do preso (art. 5°, LXIII, da Constituição); e

- de habeas corpus (art. 5°, LXVIII, da Constituição);

- Direito Penal:

- conceito de crime (tentativa e consumação - crime doloso e culposo); excludentes de ilicitude (estado de necessidade, legítima defesa, estrito cumprimento do dever legal e exercício regular de direito);

- maioridade penal; autoria, co-autoria e participação;

- homicídio (art. 121 do Código Penal);

- lesão corporal (art. 129 do Código Penal);

- constrangimento ilegal (art. 146 do Código Penal);

- ameaça (art. 147 do Código Penal);

- sequestro e cárcere privado (art. 148 do Código Penal);

- furto (art. 155);

- roubo (art. 157 do Código Penal);

- dano (art. 163 do Código Penal);

- apropriação indébita (art. 168 do Código Penal));

- estelionato (art. 171 do Código Penal);

- receptação (art. 180 do Código Penal);

- incêndio (art. 250 do Código Penal);

- quadrilha ou bando (art. 288 do Código Penal));

- resistência (art. 329 do Código Penal);

- desobediência (art. 330 do Código Penal);

- desacato (art. 331 do Código Penal);

- corrupção ativa (art. 333 do Código Penal); e

- direito processual penal: inquérito policial; prisão em flagrante. Direito Humanos e Princípios Fundamentais:

-evolução histórica;

- evolução histórico-constitucional dos direitos humanos no brasil;

-conceito;

- direitos fundamentais da pessoa humana;

- dos direitos e garantias fundamentais (tortura, provas ilícitas, direito ao silêncio e o princípio da presunção da inocência);

- direitos fundamentais da pessoa detida; e

- o crime de tortura no contexto dos direitos humanos e o tratamento constitucional (art. 5º da Consituição);

Lei nº 9.455, de 1997, (da prisão e o direito a imagem; do terrorismo, da segurança do cidadão, do estado e os direitos humanos fundamentais; da responsabilidade civil objetiva e

subjetiva e o crime de tortura, tratamento desumano ou degradante. respeito à diversidade e as diferenças entre as pessoas, principalmente no que tange diversidade de orientação sexual e combate ao racismo.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e caderno didático.

Carga Horária: 15 h/a.


4.4 GESTÃO DE MULTIDÕES E MANUTENÇÃO DE UM AMBIENTE SEGURO HARMÔNICO E CONFORTÁVEL (GMMASHC)

Carga horária: 15 h/a Avaliação: V/F (1 h/a)

Objetivo da disciplina:

a) identificar princípios de gestão de multidões e seus comportamentos numa crise;

b) identificar a psicologia básica a ser usada no controle de multidões;

c) dotar o aluno de conecimentos sobre a dinâmica de multidões, densidades, tensões e superlotações;

d) capacitar o aluno a resolver, individualmente ou em equipe, adotando o uso progressivo da força, as situações de emergência relacionadas a comportamentos impróprios de espectadores, incidentes estruturais

ou tumultos generalizados;

e) capacitar o aluno a tomar as primeiras providências e preservar o local do incidente no caso de forças públicas ou serviços públicos serem demandados a intervir, repassando com presteza a ocorrência com

todas as suas circunstâncias e medidas tomadas;

f) identificar e comunicar seu superior sobre comportamentos anti-sociais, racistas, xenófobos, ou contra crianças e idosos;

g) desenvolver técnicas de dissuasão de tais comportamentos, caso sua atuação, individual ou em equipe, seja suficiente para encerrar a ocorrência, sem deixar de fazer o devido encaminhamento às autoridades

públicas quando a ocorrência caracterizar ilícito penal;

h) desenvolver atitudes para neutralizar violação aos regramentos do estádio, ao estatuto do torcedor, ou presença de espectadores banidos;

i) dotar o aluno de conhecimento sobre planos de contingência e de emergência, rotas de acesso e de evacuação;

j) desenvolver respostas a incidentes, como decisões da arbitragem, movimentação de massas e evacuações;

h)desenvolver exercício prático de formação, como cortina humana para impedir avanços de multidões e outros gerenciamentos e separação de conflitos, como contenções e escoltas; e

l) Dotar o aluno de conhecimento para identificar os acessos, dependências, meios de comunicação, central de segurança, bem como noções no caso de desencadeamento de plano de contingência.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

Integram o conteúdo programático:

1

agir com discrição, evitar tumultos, pânicos, violência, tiros, etc.

capacitar o aluno a controlar e atuar com indivíduos em atitude inconveniente dentro e nas proximidades dos grandes eventos.

preparar o aluno para o diálogo com o público, orientando, educando e prevenindo potenciais situações in- dicativas de eclosão de desordem em massa.

identificar o tipo de público envolvido no grande evento através do comportamento demonstrado por este, bem como pelo evento a ser realizado.

realizar cortina humana para impedir avanços de multidões, em como outros procedimentos capazes de separar conflitos.

realizar contenções e escoltas.

- uso progressivo da força;

- técnicas de imobilização e condução de detidos;

- defesa contra agressão de instrumentos lesivos a integridade física dos espectadores e dos próprios vigilantes;

- técnicas de contenção de distúrbios em massa;

- fatores que interferem no comportamento das massas;

- fatores que influenciam no comportamento de um indivíduo;

- comportamento das torcidas organizadas e o fenômeno do "hooliganismo";

- comportamento coletivo e suas manifestações;

- ações de controle e encaminhamento das massas em grandes eventos;

- preservação de local e comunicação das autoridades competentes;

- rotas de acesso e de evacuação;

- plano de contingência e as ações a serem desencadeadas para a sua deflagração;

- técnicas de dinâmica de multidões e controle de tensões; e

- identificação e comunicação ao superior sobre comportamentos anti-sociais, racistas, xenófobos, ou contra crianças e idosos.

Estratégias de ensino: Aula expositiva-dialogada-demonstrativa-prática, com a utilização de recursos audiovisuais. Recursos: . 1 professor e monitores.

Carga horária: 15 h/a.


4.5 RESOLUÇÃO DAS SITUAÇÕES DE EMERGÊNCIA (RSE)

Carga horária: 05 h/a Avaliação: V/F (1 h/a) Objetivo da disciplina:

a) ampliar e revisar os conhecimentos adquiridos nas disciplinas de "Prevenção e Combate a Incêndio" e "Primeiros Socorros" durante o curso de formação de vigilante;

b) dotar o aluno de noções e técnicas básicas de prevenção e combate a incêndios, bem como capacitá-lo a adotar providências adequadas em caso de sinistros, principalmente na evacuação de recintos onde são realizados grandes eventos;

c) capacitar o aluno a prestar assistência inicial em caso de emergência através de assimilação de conhecimento de primeiros socorros, com o fim de preservar a vida, minimizar os efeitos das lesões e auxiliar na recuperação do sinistrado; e

d) dotar o aluno de habilidades para atuar corretamente, individualmente e/ou como membro de uma equipe de segurança, na execução dos planos de evacuação do recinto do grande evento, ou na execução do plano de contingência.

Unid

Objetivos Instrucionais

Conteúdo Programático

 

Ao término das unidades, o aluno deverá ser capaz de:

Integram o conteúdo programático:

1

conhecer formas de ataque.

interpretar os respectivos planos de reação elaborados pela empresa, como membro de uma equipe de segurança em plano de contingência ou evacuação.

identificar sua parcela de participação no plano de reação. praticar exercício simulado.

elaborar relatórios.

prestar assistência inicial em caso de emergência, com o fim de preservar a vida, minimizar os efeitos das lesões e auxiliar na recuperação da vítima.

- técnicas e táticas utilizadas pelos criminosos;

- planos de reação;

- procedimentos diante de imprevistos;

- relatório da ocorrência (exercício prático);

- como acionar os órgãos de segurança pública;

- métodos de combate e extinção a incêndio;

- manejo dos extintores de incêndio;

- conceito de primeiros socorros;

- análise primária e secundária;

- transporte de feridos;

- acidentes traumáticos;

- hemorragias;

- reanimação cardio-pulmonar; e

- acionamento de equipe de para-médicos.

Estratégias de Ensino: Aula expositiva dialogada com auxilio de registros, planos e recursos audiovisuais. Recursos: 1 professor e monitores.

Carga Horária: 5 h/a.